Ações europeias devolvem ganhos por China e fecham estáveis

Por Sruthi Shankar e Shashwat Chauhan

(Reuters) - As ações europeias fecharam estáveis nesta segunda-feira depois que os ganhos impulsionados pelo otimismo em relação às medidas de estímulo da China para revitalizar sua economia perderam força, enquanto os papéis da farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk atingiram máximas recorde.

O índice pan-europeu STOXX 600 fechou com variação negativa de 0,04%, a 457,96 pontos, depois de atingir pico em quase quatro semanas mais cedo no dia.

O setor de tecnologia da Europa ganhou 0,5%, com as ações da fabricante holandesa de equipamentos para semicondutores ASML subindo 0,8%.

As mineradoras terminaram em alta de 0,6%, depois de subirem quase 2% durante o dia, com os futuros do minério de ferro subindo devido ao otimismo em relação às medidas de suporte da China, maior produtor de aço para seu setor imobiliário.

A China intensificou as medidas para impulsionar a economia do país, com os principais bancos abrindo caminho para novos cortes nas taxas de empréstimos e fontes dizendo que Pequim planeja outras ações, incluindo o relaxamento das restrições à compra de casas.

A Novo Nordisk subiu 0,7%, atingindo um recorde intradiário, depois que a fabricante dinamarquesa de medicamentos lançou sua injeção para perda de peso Wegovy no Reino Unido. A Novo, com uma capitalização de mercado de 424,7 bilhões de dólares, desbancou a LVMH como a empresa de capital aberto mais valiosa da Europa na sexta-feira.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,16%, a 7.452,76 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,10%, a 15.824,85 pontos.

Continua após a publicidade

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,24%, a 7.279,51 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,01%, a 28.647,33 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,35%, a 9.416,30 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,02%, a 6.183,46 pontos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes