Ações da China terminam em baixa por dados fracos e redução do otimismo com estímulo

XANGAI (Reuters) - As ações da China fecharam em baixa nesta terça-feira, depois que uma pesquisa mostrou que a atividade de serviços no país expandiu em agosto pelo ritmo mais lento em oito meses e com a perda de força do otimismo com as últimas medidas de estímulo de Pequim.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, fechou com queda de 0,74%, enquanto o índice de Xangai caiu 0,71%. O índice Hang Seng, de Hong Kong, recuou 2,06%.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI) de serviços do Caixin/S&P Global caiu para 51,8 em agosto, de 54,1 em julho, uma vez que a demanda fraca continua a afetar a segunda maior economia do mundo e medidas de estímulo falharam em reanimar o consumo.

Pequim lançou uma série de medidas nos últimos meses para reavivar o crescimento e aumentar a confiança do mercado, incluindo a flexibilização de algumas regras de empréstimo para ajudar os compradores de imóveis e a redução dos custos de negociação no mercado de ações.

As medidas fizeram com que o mercado de ações saísse de uma mínima de nove meses, mas alguns analistas temem que a recuperação não seja duradoura.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,30%, a 33.036 pontos.

. Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 2,06%, a 18.456 pontos.

. Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 0,71%, a 3.154 pontos.

. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 0,74%, a 3.820 pontos.

Continua após a publicidade

. Em SEUL, o índice KOSPI teve desvalorização de 0,09%, a 2.582 pontos.

. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,01%, a 16.791 pontos.

. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,37%, a 3.226 pontos.

. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,06%, a 7.314 pontos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes