Collins, do Fed, diz que agora é hora de ser paciente e ponderado com a política monetária

Por Michael S. Derby

(Reuters) - A presidente do Federal Reserve de Boston, Susan Collins, disse na quarta-feira que, embora haja sinais de progresso no arrefecimento da inflação, agora é o momento de o banco central dos Estados Unidos proceder com cuidado ao definir suas próximas medidas de política monetária.

"O risco de que a inflação permaneça alta por mais tempo deve agora ser ponderado em relação ao risco de que uma postura excessivamente restritiva da política monetária leve a uma desaceleração da atividade maior do que a necessária para restaurar a estabilidade dos preços", disse Collins no texto de um discurso.

"Esse contexto exige uma abordagem paciente e cuidadosa, mas deliberada, da política, dando tempo para avaliar os efeitos das ações políticas até o momento e, em seguida, agir de forma adequada."

Collins acrescentou que paciência não significa que o Fed não será firme em suas escolhas ou que haverá uma certa suavidade na busca de sua meta de inflação de 2%, mas sim que levará "tempo para garantir que a economia esteja em uma trajetória clara para alcançar a estabilidade de preços".

Collins falou no momento em que os banqueiros centrais e os mercados estão debatendo se o Fed chegou ao ponto final de uma campanha historicamente agressiva de aumento dos juros. Desde março de 2022, o Fed elevou agressivamente sua taxa de curto prazo de zero para a atual faixa de 5,25% a 5,50%.

As autoridades do Fed em geral concordam que os altos níveis de inflação estão diminuindo, mesmo que as pressões sobre os preços ainda estejam elevadas. Enquanto isso, o mercado de trabalho também mostrou alguns sinais de arrefecimento.

A situação atual do cenário econômico sugere que o Fed pode ter terminado de aumentar os juros, mas as autoridades que se manifestaram nas últimas semanas foram cautelosas e disseram que analisarão mais dados antes de decidir o que fazer em seguida.

Collins não tem direito a voto este ano no Comitê Federal de Mercado Aberto, que se reunirá nos dias 19 e 20 de setembro, com expectativas de que não haverá aumento da taxa.

Deixe seu comentário

Só para assinantes