Jefferson é confirmado como vice-chair do Fed por forte maioria no Senado dos EUA

Por Richard Cowan e Ann Saphir

(Reuters) - O Senado dos Estados Unidos confirmou nesta quarta-feira o diretor do Federal Reserve Philip Jefferson como vice-chair do banco central dos EUA, em uma votação bipartidária, com maioria esmagadora de 88 a 10.

Jefferson foi professor de economia de longa data e reitor universitário antes de se tornar diretor do Fed em maio do ano passado, e votou a favor de todos os aumentos na taxa de juros desde então, conforme o banco central tem travado uma guerra contra a inflação.

Sua nova função significa que ele trabalhará em estreita colaboração com o chair do Fed, Jerome Powell, e com o presidente do Fed de Nova York, John Williams, para discutir alternativas de política monetária antes de cada reunião de definição da taxa básica com a participação de todo o painel de 19 autoridades.

A expectativa é de que os formuladores de política monetária do Fed mantenham a taxa de referência no intervalo atual de 5,25% a 5,5% na sua próxima reunião, de 19 a 20 de setembro, mas também deixem a porta aberta para um último incremento dos custos de empréstimos antes do final do ano.

A expectativa é de que os senadores norte-americanos aceitem ainda nesta quarta-feira as nomeações da diretora do Fed Lisa Cook para um novo mandato de 14 anos, e da economista do Banco Mundial Adriana Kugler para ocupar a última vaga aberta no conselho de sete membros do Fed.

As confirmações consolidariam o atual conselho do Fed como o mais diversificado nos mais de 100 anos de história do banco central. Jefferson é apenas o segundo homem negro a ser nomeado para o segundo cargo mais importante da instituição; Cook é a primeira mulher negra a fazer parte do conselho e Kugler será a primeira latina.

Deixe seu comentário

Só para assinantes