Minério de ferro cai com alerta da China sobre movimentos exagerados de preços

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) - Os contratos futuros do minério de ferro caíram nesta sexta-feira, cedendo ganhos registrados no início desta semana, depois que o planejador estatal da China se comprometeu a intensificar a supervisão regulatória do mercado após outra alta dos preços do ingrediente siderúrgico.

As autoridades da China, que é o maior produtor mundial de aço e compra cerca de dois terços do minério de ferro transoceânico mundial, voltaram a observar atentamente a dinâmica do mercado, tendo discutido os movimentos de preços com algumas empresas de futuros.

O minério de ferro mais negociado em janeiro na Bolsa de Commodities de Dalian da China encerrou as negociações do dia com queda de 2,1%, a 827,50 iuanes (112,61 dólares) por tonelada, depois de já ter recuado 0,9% na quinta-feira, colocando o contrato no caminho para a primeira queda semanal em cinco semanas.

Na Bolsa de Cingapura, o contrato de outubro de referência do minério de ferro caiu 1%, para 113,05 dólares por tonelada, após perder 1,7% na sessão anterior.

“O minério de ferro caiu conforme Pequim monitora a exuberância do mercado”, disseram estrategistas de commodities da ANZ em nota.

"Os reguladores disseram às empresas de futuros em uma reunião recente para não exagerarem deliberadamente a atmosfera dos ralis de preços do minério de ferro e para analisarem o mercado objetivamente."

O minério de ferro de Dalian subiu 14,4% em agosto, enquanto os preços de Cingapura avançaram 8%, apesar da fraca demanda de aço por parte do setor imobiliário chinês, que enfrenta dificuldades.

As importações de minério de ferro da China em agosto subiram 13,8% em relação a julho, impulsionadas pela crescente demanda das siderúrgicas que aumentaram a produção antes dos meses de pico de construção. O entusiasmo também foi reforçado por medidas de apoio de Pequim à economia doméstica meio a uma lenta recuperação.

Continua após a publicidade

No entanto, as perspectivas para a demanda de minério de ferro para além da tradicional temporada de alta na China, de setembro-outubro, são obscurecidas por prováveis ​​cortes na produção de aço com o objetivo de reduzir as emissões de carbono.

(Reportagem de Enrico Dela Cruz)

Deixe seu comentário

Só para assinantes