Lula diz que Putin não seria preso na reunião do G20 no Brasil em 2024

(Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse no sábado que o líder russo Vladimir Putin não será preso no Brasil se participar da reunião do Grupo dos 20 no Rio de Janeiro no próximo ano.

Em entrevista ao programa de notícias Firstpost durante a cúpula do G20 em Nova Délhi, Lula disse que Putin seria convidado para o evento do ano que vem, acrescentando que ele próprio planejava participar de uma reunião do Brics, bloco de nações em desenvolvimento, na Rússia antes da reunião do Rio.

"Acredito que Putin pode ir facilmente ao Brasil", disse Lula. "O que eu posso dizer a vocês é que se eu for presidente do Brasil e ele vier ao Brasil, não tem como ele ser preso."

O Tribunal Penal Internacional (TPI) emitiu um mandado de prisão contra Putin em março, acusando-o do crime de guerra de deportar ilegalmente centenas de crianças da Ucrânia. A Rússia negou que suas forças tenham se envolvido em crimes de guerra ou levado crianças ucranianas à força.

Putin tem faltado repetidamente a reuniões internacionais e não esteve presente na reunião do G20 em Nova Délhi, enviando o ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov.

O Brasil é signatário do Estatuto de Roma, que levou à fundação do TPI. O gabinete de Lula não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

No sábado, as nações do G20 adotaram uma declaração consensual que evitou condenar a Rússia pela guerra na Ucrânia, mas conclamou todos os Estados a não usarem a força para tomar territórios.

(Reportagem de Gabriel Stargardter)

Deixe seu comentário

Só para assinantes