BCE vai projetar que a inflação ficará acima de 3% em 2024, diz fonte

(.)

Por Francesco Canepa

FRANKFURT (Reuters) - O Banco Central Europeu prevê que a inflação da zona do euro permanecerá acima de 3% no próximo ano, reforçando a hipótese de um 10º aumento consecutivo da taxa de juros nesta semana, disse à Reuters na terça-feira uma fonte com conhecimento direto das discussões das autoridades.

O BCE vai se reunir esta semana diante de um cenário de inflação persistentemente alta e aumento dos temores de recessão, o que empurra as autoridades de política monetária em direções opostas e até terça-feira mantinha as expectativas do mercado divididas entre uma pausa e outro aumento de 25 pontos-base.

Mas os investidores elevaram as apostas em um anúncio de alta na quinta-feira após a matéria da Reuters, elevando o euro e os rendimentos dos títulos públicos .

As projeções trimestrais do BCE, que serão apresentadas ao seu Conselho na quarta-feira, colocarão a inflação acima de 3% em 2024, disse a fonte, contra as expectativas de um pequeno corte.

Um porta-voz do BCE não quis comentar.

A projeção atualizada para 2024 está bem acima da meta de 2% do banco central e será maior do que a previsão de 3% feita em junho. Ela também está acima dos 2,7% previstos em uma pesquisa da Reuters com economistas.

A fonte disse que a decisão sobre os juros ainda é apertada e que as propostas formais para a reunião ainda não foram apresentadas.

Continua após a publicidade

No entanto, um valor de inflação acima de 3% para 2024 aumenta a justificativa para um aumento dos juros, pois parece confirmar os temores de que pode ser mais difícil controlar as pressões sobre os preços do que os autoridades de política monetária pensavam anteriormente.

Os mercados monetários mostram que os investidores agora atribuem 70% de chance a um aumento dos juros nesta semana, em comparação com apenas 40% na terça-feira.

O BCE elevou sua taxa de depósito de -0,5 para 3,75% em 14 meses, o ritmo mais rápido de aperto já registrado, na esperança de conter o crescimento descontrolado dos preços.

No entanto, tanto a inflação geral quanto o núcleo permanecem acima de 5%, aumentando o risco de que os trabalhadores comecem a exigir aumentos salariais maiores em um mercado de trabalho excepcionalmente apertado.

Já a expectativa de crescimento será rebaixada para este ano e 2024, praticamente em linha com as expectativas do mercado, disse a fonte.

Economistas consultados pela Reuters consideram que o crescimento da zona do euro será de 0,6% este ano e de 0,9% em 2024.

Deixe seu comentário

Só para assinantes