Inflação britânica será a mais alta entre grandes economias em 2023, diz OCDE

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido continua a caminho de ter a inflação mais alta entre as principais economias ricas em 2023, de acordo com as previsões da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que mostraram que o problema de inflação do país está aumentando em comparação com a maioria de seus pares.

A taxa de inflação geral do Reino Unido deve atingir uma média de 7,2% em 2023, acima da previsão anterior de 6,9% feita pela OCDE em junho.

A nova estimativa representou a maior revisão para cima para qualquer economia do G7 - com exceção do Japão - no último conjunto de projeções da organização sediada em Paris, publicado nesta terça-feira.

O número também foi mais alto do que a inflação esperada para este ano na Alemanha, de 6,1%, e pela França, de 5,8%, que representaram cortes em relação às previsões de junho da OCDE.

O primeiro-ministro Rishi Sunak prometeu reduzir a inflação pela metade até o final deste ano, antes de uma eleição em 2024, o que significa que ela precisaria cair de cerca de 7% atualmente para cerca de 5% em dezembro na comparação com o mesmo mês do ano passado.

As projeções atualizadas da OCDE - que sugerem que atingir essa meta será uma tarefa difícil - mostraram que a inflação britânica deve desacelerar para 2,9% em 2024, o mesmo que a França e um pouco abaixo dos 3,0% da Alemanha.

"Hoje, a OCDE apresentou um cenário global desafiador, mas é uma boa notícia que eles esperam que a inflação do Reino Unido caia abaixo de 3% no próximo ano", disse o ministro das Finanças, Jeremy Hunt, em um comunicado.

A taxa elevada de inflação do Reino Unido levou o Banco da Inglaterra a aumentar os custos dos empréstimos 14 vezes consecutivas desde dezembro de 2021.

O banco central deve elevar a taxa bancária novamente na quinta-feira para 5,5%, de 5,25%, embora economistas e investidores acreditem que esse pode ser o último aumento nas tentativas da instituição em sufocar os riscos de inflação em uma economia que está mostrando sinais de desaceleração.

Continua após a publicidade

A OCDE disse que espera que a economia britânica cresça 0,3% em 2023, sem alterações em relação à sua previsão de junho e com o segundo pior desempenho entre as economias ricas, depois da Alemanha.

Deixe seu comentário

Só para assinantes