Programa da Petrobras de crédito a fornecedores soma R$3,3 bi até agosto, alta de 178%

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Programa Progredir, criado pela Petrobras para a concessão de crédito para fornecedores, registrou um aumento de 178% no volume das operações no acumulado deste ano até agosto na comparação com o mesmo período de 2022, alcançando 3,3 bilhões de reais em contratos, informou a companhia à Reuters.

A expectativa da petroleira é que haja nos próximos meses "grande crescimento" dos financiamentos por meio do programa, que tem atualmente cadastrados mais de 1.800 fornecedores e acima de 60 instituições financeiras, incluindo bancos e fundos.

Criado em 2011, o Progredir permite o adiantamento por instituições financeiras de valores baseados nos contratos celebrados com os fornecedores da Petrobras e contribui para estimular a indústria local. Em 2022, o programa somou 2 bilhões de reais em financiamentos.

"O programa teve volumes mais robustos nos seus primeiros anos, contudo apresentou variações no montante de operações realizadas, seguindo a trajetória da indústria de óleo e gás nesse período. No ano passado e neste ano principalmente vem retomando o número e valor de operações financiadas", disse a companhia em nota.

O crescimento do programa se dá também em momento em que a gestão da companhia, que tomou posse neste ano a partir da indicação do CEO Jean Paul Prates pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, busca contribuir com o desenvolvimento da indústria nacional e impulsionar papéis sociais da petroleira de capital misto.

No mês mais expressivo do ano até agora, o Progredir somou em julho mais de 1 bilhão de reais em financiamentos, cerca de metade de todo o financiado em 2022.

"O programa tem sido uma opção mais atrativa frente as outras alternativas disponíveis no mercado", disse a empresa, pontuando que a entrada recente de "novos bancos tende a potencializar tal diferença, já que estimula a competição e a consequente redução da taxa para os fornecedores".

"Devido a esses fatores, acreditamos que o Progredir continuará aumentando nos próximos meses."

Continua após a publicidade

Em agosto, a Petrobras e Caixa Econômica Federal anunciaram uma parceria para a integração do banco ao Progredir. O banco estatal já atuava no programa de forma experimental desde abril e prevê efetivar, por ano, 1 bilhão de reais em negócios, oferecendo taxas 30% menores, conforme informaram as partes anteriormente.

A Petrobras afirmou que o Progredir tem operações de financiamento bem diversificadas e que as taxas refletem a percepção da execução específica para cada contrato e da avaliação individual de cada fornecedor pelos agentes financeiros.

"Desta forma, as taxas podem variar bastante e estão hoje numa faixa que pode chegar abaixo de 1,50% a.m. e em alguns casos específicos que pode chegar a mais que 2% a.m. Temos verificado uma redução na média destas taxas nos últimos meses", disse a companhia.

Desde o seu início, o programa somou 23,62 bilhões de reais em financiamentos.

Dentre as medidas em curso para ampliar o Progredir, a companhia está buscando a atração de fornecedores de menor porte e de fornecedores dos fornecedores, aumentado o alcance das operações de financiamento na cadeia de fornecedores de óleo e gás.

Há ainda uma perspectiva de entrada de contratos que são financiados pelo Fundo de Marinha Mercante através dos bancos que operacionalizam o repasse destes recursos, citou a companhia.

Continua após a publicidade

(Por Marta Nogueira)

Deixe seu comentário

Só para assinantes