Dólar recua frente ao real com decisões de política monetária sob holofotes

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caía frente ao real nesta quarta-feira, em sessão de foco total nas decisões de política monetária do Federal Reserve e, após o fechamento dos mercados, do Banco Central do Brasil.

Às 9:39 (horário de Brasília), o dólar à vista recuava 0,29%, a 4,8587 reais na venda.

Na B3, às 9:39 (horário de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,24%, a 4,8650 reais.

"Acho que essa queda na abertura agora reflete um quadro de relativa tranquilidade nos mercados internacionais", explicou à Reuters Fernando Bergallo, diretor de operações da FB Capital, destacando a ampla expectativa no mercado de que a decisão do Federal Reserve virá sem surpresas, mantendo os juros na faixa atual de 5,25% a 5,50%.

No entanto, "além da decisão, o mercado vai depurar muito atentamente a entrevista do (chair do Fed) Jerome Powell. E, nesse momento, acredito que teremos uma volatilidade acentuada com o mercado buscando decifrar as entrelinhas", disse Bergallo.

A decisão do Fed será divulgada às 15h (horário de Brasília), junto com projeções econômicas atualizadas, e será seguida meia hora depois por coletiva de imprensa de Powell.

Enquanto isso, no Brasil, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC deve anunciar ao final do dia um segundo corte consecutivo de 0,50 ponto percentual na taxa Selic, de acordo com visão consensual do mercado monetário e de economistas consultados pela Reuters.

Nesse contexto, vários especialistas disseram que a boa visibilidade quanto à reunião de setembro do Copom é um fator que ajuda a manter o clima de negócios interno favorável à tomada de risco.

Continua após a publicidade

Embora juros mais baixos por aqui tendam a prejudicar o real, muitos especialistas em câmbio têm dito que a política monetária seguirá em patamar restritivo o suficiente para sustentar a moeda local mesmo com o início do afrouxamento pelo BC.

"Nos mercados emergentes, as moedas latino-americanas de alto rendimento continuam sendo consenso de compra há muito tempo, embora o câmbio emergente de outros lugares esteja ficando mais complicado, já que a força do dólar provavelmente permanecerá", disse o Citi em relatório desta quarta-feira.

Na véspera, o dólar à vista fechou o dia cotado a 4,8728 reais na venda, com alta de 0,34%.

Deixe seu comentário

Só para assinantes