Minério de ferro sobe, mas problemas no setor imobiliário da China limitam alta

Por Enrico Dela Cruz

(Reuters) - Os contratos futuros do minério de ferro subiram nesta quarta-feira, depois de serem negociados em uma faixa limitada, já que os sinais de estabilização econômica na China ajudaram a compensar as preocupações com o setor imobiliário em dificuldades no maior produtor de aço do mundo.

O minério de ferro mais negociado para janeiro na Bolsa de Mercadorias de Dalian encerrou as negociações do dia com alta de 0,5%, a 873,50 iuanes (119,69 dólares) por tonelada.

Na Bolsa de Cingapura, o minério de ferro de referência de outubro subiu 1,4%, a 121,85 dólares por tonelada, após duas sessões consecutivas de perdas.

O mercado de minério de ferro estava consolidando ganhos em meio a uma melhor perspectiva para a China, disseram os estrategistas de commodities do ANZ em uma nota.

O preço de referência do ingrediente siderúrgico em Cingapura subiu mais de 5% até agora neste mês e se manteve acima de 120 dólares por tonelada, impulsionado pelos esforços de estímulo econômico da China.

Também ajudando a melhorar o humor geral, os indicadores mais recentes mostraram que a segunda maior economia do mundo estava se recuperando após uma desaceleração acentuada -- vista como uma das principais razões pelas quais o banco central da China manteve inalteradas as taxas de empréstimo de referência em uma fixação mensal na quarta-feira.

"A introdução contínua de políticas macroeconômicas favoráveis aumentou a confiança do mercado", disseram os analistas da Huatai Futures em uma nota.

A China intensificará os esforços de controle macroeconômico e se concentrará na expansão da demanda doméstica, no aumento da confiança, na prevenção de riscos e no esforço para atingir as metas anuais de desenvolvimento econômico, disse Cong Liang, vice-presidente da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma.

Continua após a publicidade

Outros insumos siderúrgicos também subiram, com o carvão metalúrgico e o coque na bolsa de Dalian ganhando 1,3% e 0,9%, respectivamente.

(Reportagem de Enrico Dela Cruz em Manila)

Deixe seu comentário

Só para assinantes