Kraft Heinz reforça aposta no Brasil com entrada em segmento de pimentas

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Kraft Heinz está ampliando seu portfólio de produtos da marca Heinz no Brasil com a entrada no segmento de pimentas, nicho que enxerga ainda pouco explorado no país, em um movimento alinhado à estratégia da companhia de expandir em produtos que buscam realçar o sabor dos alimentos.

"Há um universo muito rico de sabores (de pimentas) que é muito pouco explorado na gôndola de supermercado", afirmou a diretora de estratégia e transformação da Kraft Heinz Brasil, Marta Oliveira, à Reuters.

Outro fator para a escolha foi a frequência de uso do produto. "Nós vimos que pimenta é consumida três vezes mais todos os dias do que o ketchup" no Brasil, afirmou a executiva, citando ainda o fato de ser um item bastante complementar a vários pratos, incluindo dos próprios produtos da marca.

Nesta quinta-feira, a companhia lança oficialmente uma linha com três opções de molhos - Thai, Korean e Mexicana - de diferentes níveis de intensidade, que será produzida por uma empresa terceirizada em Goiás. Mas a gigante dos alimentos não descarta internalizar a produção à frente.

De acordo com o presidente-executivo da Kraft Heinz Brasil, Fernando Rosa, trata-se de uma categoria que a empresa estava "namorando" há um bom tempo no Brasil e que já está presente em prateleiras de outros países.

O executivo afirmou que pimenta é uma parte muito importante do mercado que a empresa agora está começando a entrar com mais força no país. "Nossa aposta é que a pimenta no próximo ano tenha bastante relevância no portfólio, como tem hoje mostarda", afirmou o executivo.

Atualmente, o ketchup, incluindo todas as variações vendidas pela marca, é o carro-chefe no Brasil.

Os novos sabores serão exclusivos ao Brasil, mas o plano é expandir para outros países. "Nós somos o primeiro país a lançar (os três sabores), mas entrará em outros", disse Oliveira, acrescentando que o projeto que envolveu as equipes de chefs e desenvolvimento do Brasil e global durou cerca de oito meses até o lançamento.

Continua após a publicidade

Os executivos não detalharam valores de investimentos envolvidos nos novos produtos ou previsões de vendas, mas destacaram como mais um indício da relevância da unidade brasileira na estratégia global da companhia.

EXPANSÃO BRASILEIRA

De acordo com Rosa, o Brasil tem crescido a uma taxa bem acima da companhia globalmente, que vê o país uma das principais regiões fora dos Estados Unidos que a companhia vai apostar nos próximos anos. "O Brasil é um dos, se não o protagonista dessa história de investimentos e aposta da companhia."

Em 2021, a Kraft Heinz, que tem a Berkshire Hathaway e a 3G Capital como seu maiores acionistas, comprou a empresa brasileira de molhos, condimentos e conservas Hemmer e fez aporte para se tornar controladora da companhia de especiarias e temperos BR Spices. A empresa também detém a marca Quero no país.

"Isso é mais do que um indício do quanto o Brasil está no centro da estratégia global da companhia", afirmou Rosa.

No primeiro semestre de 2023, a Kraft Heinz teve receita líquida de 13,2 bilhões de dólares, sendo 9,96 bilhões na América do Norte e 3,25 bilhões no segmento internacional.

Deixe seu comentário

Só para assinantes