Paralisação do governo dos EUA se aproxima após republicanos da Câmara bloquearem próprio projeto de gastos

Por David Morgan e Richard Cowan

WASHINGTON (Reuters) - A tentativa do presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Kevin McCarthy, de retomar sua agenda de gastos fracassou nesta quinta-feira, quando os republicanos bloquearam pela terceira vez uma votação sobre gastos com defesa, aumentando o risco de uma paralisação do governo em apenas 10 dias.

A Câmara dos Deputados votou por 216 a 212 contra o início do debate de um projeto de lei de 886 bilhões de dólares sobre apropriações de defesa em meio à oposição de um pequeno grupo de republicanos conservadores de linha dura.

Isso representou um revés para McCarthy na manhã seguinte à reunião de sua frágil maioria de 221 a 212 deputados por duas horas e meia em busca de um consenso sobre a legislação para evitar a quarta paralisação do governo em uma década, a partir de 1º de outubro.

Quando a votação fracassou, McCarthy disse a repórteres que seguirá a "mesma estratégia que tinha desde janeiro: continuar trabalhando; nunca desistir".

As agências federais começarão a fechar em 1º de outubro a menos que o Congresso aprove uma resolução contínua de curto prazo, conhecida como CR, ou um projeto de lei de financiamento para o ano inteiro.

Até o momento, os republicanos da Câmara não conseguiram se unir em torno de nenhuma das possibilidades, e as ideias que eles consideraram têm apenas o apoio dos republicanos, o que torna improvável que ganhem apoio no Senado, de maioria democrata, ou que sejam sancionadas pelo presidente norte-americano, Joe Biden.

"Em vez de diminuir a chance de uma paralisação, o presidente da Câmara McCarthy está, na verdade, aumentando-a ao perder tempo com propostas extremistas que não podem se tornar lei no Senado", disse o principal democrata do Senado, Chuck Schumer.

O projeto de lei estava programado para ser votado em cinco minutos, mas os republicanos o mantiveram em aberto por mais de meia hora na esperança de obter votos adicionais.

Continua após a publicidade

O deputado republicano Keith Self, que havia votado a favor do projeto de lei, disse que o fracasso da moção demonstrou uma falta de confiança na liderança de McCarthy.

"É uma questão de confiança", disse Self a repórteres, mas não quis entrar em detalhes. Perguntado sobre o clima na Câmara, Self disse: "As emoções estavam à flor da pele".

(Reportagem adicional de Makini Brice)

Deixe seu comentário

Só para assinantes