Inflação do Japão em agosto fica acima da meta do BC pelo 17º mês

Por Yoshifumi Takemoto e Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - O núcleo da inflação do Japão manteve-se estável em agosto e permaneceu acima da meta de 2% do banco central pelo 17º mês consecutivo, mostraram dados nesta sexta-feira, um sinal de ampliação da pressão de preços que pode aumentar os argumentos a favor de uma saída da política monetária ultrafrouxa.

Os dados foram divulgados horas antes de o Banco do Japão concluir sua reunião de política monetária, em que manteve a taxa de juros ultrabaixa nesta sexta-feira e sua promessa de continuar apoiando a economia até que a inflação atinja de forma sustentável sua meta de 2%.

O núcleo do índice nacional de preços ao consumidor, que exclui itens voláteis como alimentos frescos mas inclui os custos de combustível, aumentou 3,1% em agosto em relação ao ano anterior, segundo dados do governo, em comparação com a previsão mediana do mercado de um avanço de 3,0%. Em julho o índice havia subido 3,1%.

Embora os subsídios do governo tenham reduzido as contas de serviços públicos, os preços aumentaram para uma série de alimentos e necessidades diárias, em um sinal de que a inflação estável está se instalando na terceira maior economia do mundo.

Os preços dos serviços aumentaram 2,5% em agosto em relação ao ano anterior, depois de uma alta de 2,4% em julho, sugerindo que o aumento dos salários pode levar a pressões mais amplas sobre os preços na terceira maior economia do mundo.

O chamado núcleo do núcleo, que elimina o efeito dos preços voláteis dos alimentos frescos e dos combustíveis, aumentou 4,3% em agosto em relação ao ano anterior, seguindo o mesmo ritmo de aumento anual de julho.

Deixe seu comentário

Só para assinantes