Preço da gasolina na Rússia cai quase 10% após governo proibir exportação

MOSCOU (Reuters) - Os preços da gasolina russa Ai-92 no atacado caíram 9,7%, para 55.892 rublos (582 dólares) por tonelada métrica nesta sexta-feira, de acordo com dados da bolsa, após a proibição governamental das exportações de combustível.

Os preços do diesel caíram 7,5%, para 66.511 rublos por tonelada, de acordo com os dados da Bolsa Mercantil Internacional de São Petersburgo (SPIMEX).

Os preços do combustível no atacado na Rússia têm aumentado constantemente este ano em meio à escassez de combustível, atingindo os níveis mais altos de todos os tempos.

Em resposta, a Rússia proibiu temporariamente, na quinta-feira, as exportações de gasolina e diesel para todos os países, com exceção de quatro ex-estados soviéticos. O país exportou cerca de 1 milhão de barris de diesel e 130 mil barris de gasolina por dia neste ano, de acordo com o JP Morgan.

A empresa russa de oleodutos Transneft interrompeu as remessas para exportação de óleo diesel do porto de Primorsk, no Mar Báltico, e de Novorossiysk, no Mar Negro, informou a agência de notícias TASS, citando a empresa.

Um porta-voz do Kremlin disse aos repórteres que a proibição de exportação durará o tempo necessário para garantir a estabilidade do mercado.

"Era necessário regular esse mercado no contexto do trabalho de colheita, processos agrícolas... o consumidor comum, não apenas o atacado, mas também o mercado de varejo", disse o porta-voz Dmitry Peskov.

O primeiro vice-ministro da Energia, Pavel Sorokin, disse na quinta-feira que a proibição era indefinida e que outras medidas do governo dependeriam da "saturação" do mercado de combustível.

"Acreditamos que a proibição de fato será temporária e durará apenas algumas semanas, até que a colheita termine em outubro", disse o JP. Morgan em nota a clientes.

Continua após a publicidade

Os analistas do Citi disseram que esperavam que a proibição russa durasse cerca de seis semanas.

((Tradução Redação São Paulo))

REUTERS BC FDC

Deixe seu comentário

Só para assinantes