Barroso diz que vai priorizar segurança jurídica e combate a crime e desigualdade à frente do STF

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O próximo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, disse nesta segunda-feira que vai priorizar em seu período à frente da corte o aperfeiçoamento da segurança jurídica para colaborar na atração de investimentos e geração de emprego, e também irá atuar em matérias ligadas ao combate à criminalidade e à desigualdade social.

"Nesse período de minha gestão pretendo superar o preconceito que existe contra a iniciativa privada e contra sucesso empresarial“, disse Barroso em discurso durante o evento do setor de seguros Fides 2023.

Mais tarde, em entrevista a jornalistas, Barroso acrescentou que entre suas principais preocupações também estará o combate à pobreza e às desigualdades e ao crime organizado.

O ministro irá tomar posse na presidência do Supremo na quinta-feira no lugar da ministra Rosa Weber, que irá se aposentar compulsoriamente por idade ao completar 75 anos.

Barroso, de 65 anos, se tornou ministro do STF no governo da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2013. Ele irá comandar o Supremo pelos próximos dois anos. A sucessão na corte segue a ordem de antiguidade.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

Deixe seu comentário

Só para assinantes