Goolsbee, do Fed, diz que inflação alta continua sendo "maior risco" para a economia

Por Howard Schneider

WASHINGTON (Reuters) - A permanência da inflação nos Estados Unidos acima da meta de 2% do Federal Reserve continua sendo um risco maior do que a política monetária desacelerar a economia mais do que o necessário para manter o ritmo de aumento dos preços sob controle, disse o presidente do Fed de Chicago, Austan Goolsbee, nesta segunda-feira.

"O risco de a inflação permanecer mais alta do que o desejado é o maior risco", disse Goolsbee em comentários na CNBC. "Temos que fazer com que a inflação volte para a meta... Devemos ter 100% de empenho."

Goolsbee disse que o Fed precisará "avaliar" a necessidade de novos aumentos nas taxas.

Mas ele também disse que o debate sobre a fase atual da política monetária do Fed "deixará de ser sobre quanto mais eles vão aumentar e passará a ser sobre quanto tempo precisamos manter a taxa" no nível máximo.

Na semana passada, o Fed manteve sua taxa referencial juros na faixa de 5,25% a 5,5%, com a maioria das autoridades prevendo que será necessário mais um aumento de 0,25 ponto percentual este ano.

Mais notavelmente, eles reduziram pela metade o ritmo em que a taxa de juros deverá cair no próximo ano à medida que a inflação desacelera, com as autoridades projetando apenas meio ponto de cortes no próximo ano, em comparação com um ponto previsto em junho.

(Reportagem de Howard Schneider)

Deixe seu comentário

Só para assinantes