Ibovespa tem queda discreta com Vale em dia de volume baixo; Weg sobe

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou com um declínio discreto nesta segunda-feira, pressionado particularmente pela queda das ações Vale na esteira do recuo do minério de ferro por preocupações com a China, enquanto os papéis da Weg avançaram quase 5% após a empresa anunciar a maior aquisição da sua história.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,07 %, a 115.924,61 pontos, após os ajustes finais. Na máxima do dia, chegou a 116.030,83 pontos, e na mínima, a 115.573,35 pontos.

O volume financeiro somou apenas 17,1 bilhões de reais, bem abaixo da média diária do ano, de 25,4 bilhões de reais.

De acordo com análise técnica do Itaú BBA, o Ibovespa ainda não mostrou sinais de possível recuperação após decisões de juros no Brasil e nos Estados Unidos na última quarta-feira, com índices como o Small Caps e do setor de consumo mostrando fragilidade ao perderem suportes na semana passada.

"Esse movimento aumenta a pressão na região dos 114.000 pontos para o Ibovespa", afirmou em nota a clientes, estimando que se perder essa região retomará a trajetória de baixa, com o próximo suporte em 111.600 pontos. Em caso de recuperação, veem os 119.800 pontos ainda como uma referência de curto prazo.

Os analisas do Itaú BBA ressaltaram que, no médio prazo, veem um cenário altista, uma vez que o Ibovespa segue acima da sua média móvel de 200 períodos. "Porém, no curto prazo a pressão aumentou e poderemos ver mais quedas à frente."

No exterior, Wall Street mostrou algum fôlego no final do pregão e o S&P 500 fechou em alta de 0,40%, apesar do avanço nos rendimentos dos Treasuries. Agentes aguardam dados da economia norte-americana na semana em meio à possibilidade de os juros nos EUA permanecerem elevados por mais tempo.

DESTAQUES

Continua após a publicidade

- VALE ON caiu 2,06%, a 66,60 reais, conforme os futuros do minério de ferro recuaram nesta segunda-feira, refletindo receios com o consumo de aço mais fraco do que o esperado na temporada de pico de construção e possíveis restrições à produção de aço durante o inverno na China. O contrato mais negociado na Dalian Commodity Exchange (DCE) encerrou o dia com uma queda de 2,03%.

- PETROBRAS PN avançou 0,65%, a 34,25 reais, oferecendo algum contrapeso, mesmo com o barril de petróleo Brent fechando quase estável, a 93,29 dólares.

- WEG ON valorizou-se 4,61%, a 36,13 reais, após acordo para comprar ativos de motores industriais elétricos e geradores da norte-americana Regal Rexnord, em uma transação avaliada em 400 milhões de dólares. O Bradesco BBI considerou o anúncio positivo, afirmando que a Weg está expandindo suas operações globais, inclusive nos EUA, o que permite à companhia ganhar participação no mercado externo.

- ELETROBRAS ON subiu 1,73%, a 35,87 reais, também dando uma contribuição positiva relevante. O índice do setor elétrico, por sua vez, cedeu 0,34%.

- CASAS BAHIA ON caiu 13,24%, a 0,59 reais, renovando mínimas históricas, enquanto a rival MAGAZINE LUIZA ON recuou 4,02%, a 2,15 reais, em dia de alta dos juros futuros no Brasil. No caso de Casas Bahia, o papel segue pressionado por incertezas envolvendo a reestruturação da companhia, após uma oferta de ações com desconto expressivo e risco de antecipação de dívida. Analistas do Goldman Sachs também afirmaram em relatório que a visão de investidores brasileiros para o varejo continua relativamente negativa.

- GOL PN perdeu 3,58%, a 6,20 reais, em sessão mais negativa para papéis sensíveis a juros e com a alta do dólar ante o real. O Citi reiterou a recomendação "neutra/alto risco" para as ações da Gol e cortou o preço-alvo dos ADRs de 4,20 para 3,30 dólares. No setor, AZUL PN caiu 2,85%, a 13,98 reais.

Continua após a publicidade

- CVC ON avançou 5,75%, a 2,39 reais. No final da sexta-feira, a operadora de turismo divulgou que fundos geridos pela Absolute Gestão de Investimentos aumentaram a participação na companhia, passando a deter 22.288.174 ações ordinárias, correspondentes a 5,02% do total de ações ordinárias de emissão da empresa.

- ITAÚ UNIBANCO PN ganhou 0,30%, a 27,00 reais, enquanto BRADESCO PN caiu 0,28%, a 14,11 reais. O índice do setor financeiro terminou com acréscimo de 0,04%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora