Caixa propõe liberação de compulsório para financiamento habitacional, diz presidente

Por Patricia Vilas Boas

SÃO PAULO (Reuters) - A presidente da Caixa Econômica, Maria Rita Serrano, disse nesta terça-feira que está propondo ao Ministério da Fazenda a discussão com o Banco Central sobre a liberação do compulsório vinculado ao financiamento habitacional.

"Nós entendemos que, já que o mercado vem perdendo muitos recursos em poupança, é necessário também repensar o compulsório", disse Serrano, durante evento da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), em São Paulo.

A presidente da Caixa afirmou que entregou ao Ministério da Fazenda uma proposta para que se discuta com o BC novas regras de compulsório.

"Nós estamos propondo que seja liberado o compulsório vinculado a financiamento habitacional", disse Serrano. "Não tem sentido você manter a mesma regra de compulsório com os recursos de poupança diminuindo."

Ela também defendeu a desburocratização de processos a fim de diminuir os custos e, consequentemente, repassar essa redução ao cliente final.

Serrano acrescentou que o banco atingiu na última sexta-feira a marca de 700 bilhões de reais de carteira de crédito imobiliário, com 6,6 milhões de contratos, um crescimento de 9,56% em relação ao fechamento do ano de 2022.

"Isso faz com que a Caixa retorne àquilo que o presidente Lula, inclusive, quando me indicou para ser presidente me solicitou veementemente e como tarefa principal: que a Caixa voltasse a ser protagonista do desenvolvimento do país."

Na véspera, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi questionado sobre suas intenções quanto à alteração na chefia do banco público e, em declaração a repórteres, disse que neste momento, não está disposto a modificar a gestão.

Deixe seu comentário

Só para assinantes