Debate de julho no BC do Japão destaca divergência de opinião sobre momento de aumentar os juros

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - As autoridades do Banco do Japão concordaram com a necessidade de manter a política monetária ultrafrouxa, mas ficaram divididas sobre quando o banco central pode dar fim às taxas de juros negativas, segundo a ata de sua reunião de julho divulgada nesta quarta-feira.

Os nove membros da diretoria também divergiram em suas opiniões sobre se as empresas continuarão a aumentar os salários no próximo ano, segundo a ata, destacando a incerteza sobre a rapidez com que o banco central do Japão pode começar a eliminar gradualmente seu forte programa de estímulo.

Um membro disse que "ainda há um longo caminho a percorrer" antes que o Banco do Japão possa revisar sua política de taxas de juros negativas, segundo o documento.

Outro membro, no entanto, disse que o cumprimento da meta de inflação de 2% está "claramente à vista", acrescentando que talvez seja possível avaliar se a meta foi atingida "por volta de janeiro a março de 2024", segundo a ata.

Muitos membros concordaram que o banco central deve manter a taxa de juros ultrabaixa por enquanto, já que o alcance estável e sustentável de sua meta de 2% ainda não foi vislumbrado, segundo a ata.

Na reunião de julho, o Banco do Japão manteve sua política monetária frouxa, mas tomou medidas para permitir que os custos dos empréstimos de longo prazo aumentem mais livremente, de acordo com a inflação e o crescimento econômico.

(Reportagem de Leika Kihara)

Deixe seu comentário

Só para assinantes