Dólar supera R$5,00 com medo de juros mais altos por mais tempo nos EUA

Por Luana Maria Benedito

(Reuters) - O dólar passou a subir nesta quarta-feira e superou a marca psicológica de 5 reais pela primeira vez em mais de um mês, dando sequência a ganhos recentes desencadeados por temores de juros mais altos por mais tempo nos Estados Unidos.

Às 9:49 (horário de Brasília), o dólar à vista avançava 0,35%, a 5,0071 reais na venda. A última vez em que a divisa norte-americana havia superado os 5 reais nas negociações intradiárias fora no dia 18 de agosto. No entanto, o dólar não encerra um pregão acima dessa marca desde o início de junho.

Na B3, às 9:49 (horário de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,31%, a 5,0070 reais.

A alta do dólar frente ao real estava em linha com a valorização da divisa norte-americana em relação a uma cesta de partes fortes, contra as quais tem vivido um rali nas últimas sessões depois que o Federal Reserve indicou aos mercados que manterá os juros mais altos por mais tempo de forma a combater a inflação.

O banco central dos EUA manteve sua taxa básica inalterada na semana passada, mas seus membros ainda esperam mais uma alta de 0,25 ponto percentual este ano e elevaram as projeções para o patamar dos juros em 2024, conforme a maior economia do mundo mostra resiliência surpreendente --o que nubla a perspectiva de controle da alta dos preços.

Quanto mais altos os juros nos Estados Unidos, mais a divisa dos EUA tende a se valorizar globalmente, uma vez que os rendimentos dos Treasuries ficam atraentes quando comparados aos retornos de títulos emergentes, de risco muito maior.

De acordo com operadores, o movimento de alta do dólar neste pregão era impulsionado ainda por fatores técnicos, uma vez que a superação da marca de 5 reais provavelmente acionou mecanismos de "stop loss", ou ordens automáticas de compra.

"É o 'stop' que bate, e nesta semana já começou o movimento da Ptax; o pessoal que está comprado (em dólar) vai aproveitar esse movimento" para impulsionar a moeda norte-americana a patamares mais interessantes a suas posições, explicou Hideaki Iha, operador de câmbio da Fair Corretora.

Continua após a publicidade

A Ptax é uma taxa de câmbio calculada pelo Banco Central que serve de referência para a liquidação de contratos futuros. No fim de cada mês, agentes financeiros costumam tentar direcioná-la para níveis mais convenientes às suas apostas, sejam elas de que o dólar vai subir ou de que vai cair.

Na véspera, o dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9895 reais na venda, em alta de 0,46%.

Deixe seu comentário

Só para assinantes