Encomendas de bens duráveis nos EUA têm alta inesperada em agosto

WASHINGTON (Reuters) - As encomendas de bens duráveis dos Estados Unidos aumentaram inesperadamente em agosto e houve sinais de que os gastos das empresas com equipamentos recuperaram algum ímpeto depois de terem hesitado no início do terceiro trimestre.

O Departamento de Comércio informou nesta quarta-feira que os pedidos de bens duráveis, itens que variam de torradeiras a aviões e destinados a durar três anos ou mais, aumentaram 0,2% no mês passado. Os dados de julho foram revisados para baixo, mostrando que os pedidos desses bens diminuíram 5,6%, em vez de 5,2% conforme informado anteriormente.

Os pedidos de bens de capital não relacionados à defesa, excluindo aeronaves, um indicador observado de perto para os planos de gastos das empresas, aumentaram 0,9% depois de um declínio de 0,4% no mês anterior, em dado revisado para baixo. Anteriormente o departamento divulgou alta de 0,1% desse chamado núcleo das encomendas de bens de capital.

Economistas consultados pela Reuters projetaram queda de 0,5% das encomendas de bens duráveis no mês passado, com estagnação do núcleo dos pedidos.

A manufatura, que representa 11,1% da economia, está se arrastando à medida que os custos mais altos de empréstimos reduzem a demanda por bens.

Desde março de 2022, o banco central dos EUA aumentou sua taxa de juros de referência em 525 pontos-base, para a faixa atual de 5,25% a 5,50%.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Deixe seu comentário

Só para assinantes