Barkin, do Fed: é muito cedo para dizer se outra alta de juros é necessária

Por Michael S. Derby

NOVA YORK (Reuters) - O presidente do Federal Reserve de Richmond, Thomas Barkin, disse nesta quinta-feira ainda não estar claro o que o banco central norte-americano vai precisar fazer com relação à política monetária até o final deste ano.

No que diz respeito à perspectiva de outro aumento da taxa de juros, é "muito cedo para eu saber. Acho que há uma grande variedade de resultados possíveis" para a economia e, devido a essa incerteza, é bom que o Fed dê um tempo e veja como os dados se comportam, disse Barkin, em entrevista à Bloomberg TV.

Barkin afirmou na entrevista que espera uma desaceleração no crescimento econômico em relação ao ritmo observado no início do ano, mas tem expectativa de que a expansão continue, em meio à suavização nada surpreendente nos gastos de consumidores entre as famílias de baixa e média renda.

Barkin reconheceu que uma possível paralisação do governo dos EUA dificultaria a capacidade do Fed de fazer uma leitura da economia. Os republicanos da Câmara dos Deputados não conseguiram chegar a um acordo sobre um projeto de lei de financiamento necessário para manter o governo em funcionamento, o que ameaça a coleta e a publicação de dados econômicos.

"Seria difícil entender o que realmente está acontecendo na economia sem os dados sobre empregos, que são as melhores informações sobre o mercado de trabalho", disse Barkin.

Mas ele observou que a experiência da pandemia levou o Fed a procurar dados alternativos em tempo real, como números de gastos com cartões de crédito, que reduzem as chances de o banco central norte-americano voar totalmente às cegas.

(Reportagem de Michael S. Derby)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes