BC reduz estimativa de expansão do crédito em 2023 para 7,3%, ante 7,7%

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central previu um crescimento do crédito no país de 7,3% este ano, ante estimativa de 7,7% feita em junho, conforme dados do seu Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta quinta-feira.

Agora, a expectativa é que o crédito às famílias suba 9,9% em 2023, contra expectativa anterior também de 9,9%. Para as empresas, a elevação foi calculada em 3,4%, ante 4,4% no último relatório.

Para o estoque de crédito livre, em que as taxas são pactuadas livremente entre bancos e tomadores, o BC projeta agora uma expansão de 5,7% em 2023, contra alta de 6,3% antes. Para o crédito direcionado, que atende a parâmetros estabelecidos pelo governo, a perspectiva é de alta de 9,6% neste ano, contra os mesmos 9,6% antes.

Nas contas do BC, que agora também apresenta previsões para 2024, a expansão do estoque de crédito no ano que vem será de 8,5%. Nesse caso, a autoridade monetária vê alta de 9,2% no crédito às pessoas físicas e de 7,4% no crédito às empresas.

No próximo ano, o estoque de crédito com recursos livres deve ter expansão de 7,9%, ao passo que o saldo com recursos direcionados deve subir 9,3%, completou o BC.

(Por Bernardo Caram)

Deixe seu comentário

Só para assinantes