Kremlin diz que não há planos de elevar oferta de petróleo para compensar proibição de exportação de combustível

MOSCOU (Reuters) - A Rússia não discutiu com a Opep+, grupo dos principais produtores de petróleo, um possível aumento no fornecimento de petróleo bruto para compensar a proibição de suas exportações de combustível, disse o Kremlin nesta quinta-feira.

"Não há discussões sobre isso, nós aderimos a todos os acordos dentro da Opep+ e nossos parceiros fazem o mesmo", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

A Rússia tem enfrentado escassez de gasolina e diesel nos últimos meses. Traders disseram que o mercado de combustíveis na Rússia, um dos maiores produtores de petróleo do mundo, foi atingido por fatores que incluem manutenção nas refinarias de petróleo, gargalos nas ferrovias e a fraqueza do rublo, que incentiva as exportações de combustível.

A Rússia também vem reduzindo sua oferta de petróleo, prometendo cortar as exportações de petróleo bruto em 300.000 barris por dia até o final do ano.

O presidente Vladimir Putin e as autoridades do governo discutiram na quarta-feira medidas para enfrentar a crise de combustíveis. Na quarta-feira, ele disse ao governo para "trabalhar em estreita colaboração com as empresas" a fim de garantir a estabilização do mercado de combustíveis.

Perguntado se alguma medida administrativa poderia ser aplicada aos produtores russos por causa da escassez no mercado doméstico de combustíveis, Peskov disse que não havia necessidade disso, mas que o "trabalho" com as empresas seria realizado.

(Reportagem de Dmitry Antonov; texto de Vladimir Soldatkin)

Deixe seu comentário

Só para assinantes