Netflix é processada por fabricante de jogos de mesa após quebra de contrato ligado a "Rebel Moon"

Por Blake Brittain

(Reuters) - Uma editora de jogos de mesa licenciados com temas de filmes processou a Netflix em um tribunal federal da Califórnia nesta quinta-feira, acusando a empresa de violar um contrato para um jogo vinculado ao próximo filme de ficção científica da gigante do streaming, "Rebel Moon".

O processo movido pela Evil Genius Games, com sede em San Mateo, Califórnia, disse que a Netflix alegou falsamente que houve quebra das obrigações de confidencialidade para confiscar os direitos do jogo e os materiais relacionados.

Representantes da Netflix não responderam imediatamente a um pedido de comentários sobre o processo.

O advogado da Evil Genius, John Fowler, disse na quinta-feira que a empresa “colocou coração, alma e tremendos recursos e habilidades no projeto de RPG de mesa Rebel Moon, apenas para ser abruptamente deixada de lado sem motivo justificável”.

A Evil Genius fez jogos de RPG licenciados baseados em franquias de filmes, incluindo “Rambo”, “Highlander” e “Pacific Rim”. O processo afirma que a Netflix e o diretor de “Rebel Moon”, Zack Snyder, ficaram “maravilhados” com a proposta de um jogo baseado no novo filme de ficção científica, que deve ser lançado em dezembro.

De acordo com a denúncia, a Evil Genius completou o jogo em maio, junto com uma extensa "bíblia mundial" de 228 páginas com uma "história de fundo coesa" para o universo "Rebel Moon", que Snyder e Netflix indicaram que usariam no filme e em spin-offs planejados.

O processo afirma que a Netflix acusou injustamente a Evil Genius de divulgar conteúdo confidencial e obras de arte não aprovadas em uma feira de jogos de tabuleiro em abril, usando as alegações como pretexto para "afirmar a propriedade sobre a propriedade intelectual do Requerente, interromper o projeto e impedir que o jogo seja liberado (ou potencialmente liberá-lo para evitar a partilha dos lucros)".

(Reportagem de Blake Brittain em Washington)

Deixe seu comentário

Só para assinantes