Dólar recua frente ao real após dados de inflação dos EUA em sessão volátil

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caía acentuadamente frente ao real nesta sexta-feira, em movimento de ajuste para baixo após salto recente, enquanto investidores reagiam à desaceleração do núcleo da inflação nos Estados Unidos, em sessão de maior volatilidade por ser a última do mês e do trimestre.

Às 10:18 (horário de Brasília), o dólar à vista recuava 0,79%, a 5,0004 reais na venda. Nas mínimas do dia, a divisa norte-americana chegou a operar abaixo dos 5 reais, indo a 4,9919 na venda.

Na B3, às 10:18 (horário de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento caía 0,72%, a 5,0000 reais.

"Basicamente acompanhando o enfraquecimento da divisa americana no mercado internacional de câmbio, reflexo da divulgação do PCE que veio um pouco abaixo da previsão", disse Jefferson Rugik, presidente-executivo da Correparti Corretora.

Dados divulgados mais cedo mostraram que a inflação medida pelo índice PCE --o favorito do banco central dos Estados Unidos-- subiu 0,4% em agosto, depois de ter avançado 0,2% em julho. No entanto, as pressões inflacionárias subjacentes estão diminuindo, o que será bem recebido pelas autoridades do Federal Reserve. O núcleo dos preços, que exclui componentes voláteis, teve alta de 0,1% no período, depois de alta de 0,2% no mês anterior.

Na esteira dos dados, o índice do dólar contra uma cesta de pares fortes caía 0,30%, abandonando máximas recentes que foram alcançadas em meio a temores de que a resiliência da economia dos EUA manteria a inflação persistente, forçando o Fed a deixar os juros mais altos por mais tempo.

No entanto, em dia de fechamento da taxa Ptax de setembro, "é sempre mais difícil fazer uma leitura dos fatores que influenciam o câmbio no dia, porque há um maior volume de negócios e também maior volatilidade dentro das janelas utilizadas pelo Banco Central para o cálculo da Ptax", disse Leonel Mattos, analista de inteligência de mercados da StoneX.

A Ptax é uma taxa de câmbio calculada pelo Banco Central que serve de referência para a liquidação de contratos futuros. No fim de cada mês, agentes financeiros costumam tentar direcioná-la para níveis mais convenientes às suas apostas, sejam elas de que o dólar vai subir (posições compradas) ou de que vai cair (posições vendidas).

Continua após a publicidade

Na véspera, o dólar à vista fechou o dia cotado a 5,0401 reais na venda, em baixa de 0,15%, após ter emplacado três sessões consecutivas de ganhos. A divisa norte-americana ainda estava a caminho de encerrar setembro em alta de quase 1%, acumulando ainda ganhos de cerca de 4,40% no terceiro trimestre.

Até agora em 2023, por outro lado, o dólar ainda mostra queda de mais de 5% frente ao real.

Deixe seu comentário

Só para assinantes