Setor manufatureiro dos EUA tem recuperação em setembro com aceleração da produção, mostra ISM

WASHINGTON (Reuters) - O setor industrial dos Estados Unidos deu mais um passo rumo à recuperação em setembro, com aumento da produção e recuperação do emprego, de acordo com uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira, que também mostrou que os preços de insumos pagos pelas fábricas caíram consideravelmente.

O Instituto de Gestão do Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) disse nesta segunda-feira que seu Índice de Gerente de Compras (PMI) industrial aumentou para 49,0 no mês passado, a leitura mais alta desde novembro de 2022, de 47,6 em agosto.

Ainda assim, setembro marcou o 11º mês consecutivo em que o PMI permaneceu abaixo de 50, o que indica contração no setor industrial. Esse é o período mais longo de contração desde a Grande Recessão de 2007-2009.

Economistas consultados pela Reuters previam que o índice subiria para 47,7. Embora o PMI e outras pesquisas de negócios tenham pintado um quadro sombrio do setor industrial, que responde por 11,1% da economia norte-americana, outros dados sugerem que o setor continua a se manter em meio a custos de empréstimos mais altos.

Os pedidos de produtos manufaturados de longa duração aumentaram 4,2% em relação ao ano anterior em agosto e os gastos das empresas com equipamentos parecem ter permanecido fortes no terceiro trimestre, depois de terem se recuperado no período de abril a junho.

O subíndice de novos pedidos prospectivo da pesquisa ISM aumentou de 46,8 em agosto para 49,2 no mês passado. Com a melhora do volume de novos pedidos, a produção nas fábricas acelerou. O índice de produção aumentou de 50,0 no mês anterior para 52,5.

Embora os pedidos com atraso tenham diminuído, os estoques das fábricas e de seus clientes permaneceram muito baixos, o que deve sustentar a produção futura. Com a demanda ainda fraca, os preços dos insumos de fábrica permaneceram baixos.

A medida da pesquisa dos preços pagos pelos fabricantes caiu de 48,4 em agosto para 43,8. Isso é um bom presságio para a deflação de mercadorias, mas a greve dos trabalhadores do setor automotivo pode aumentar os preços dos veículos motorizados.

O nível de emprego nas fábricas melhorou ainda mais depois de ter atingido uma mínima em três anos em julho. O indicador de emprego nas fábricas da pesquisa subiu para 51,2 no mês passado, de 48,5 em agosto.

Continua após a publicidade

(Por Lucia Mutikani)

Deixe seu comentário

Só para assinantes