Exportações alemãs caem mais do que o esperado em agosto

BERLIM (Reuters) - As exportações alemãs caíram mais do que o esperado no mês de agosto, mostraram dados do escritório federal de estatísticas nesta quinta-feira, prejudicadas pela fraca demanda global.

As exportações caíram 1,2% em agosto em relação ao mês anterior, mostraram os dados, em comparação com uma previsão em pesquisa da Reuters de queda de 0,4%.

Agosto foi o segundo mês consecutivo a trazer declínio nas exportações, após uma queda de 1,9% em julho, em revisão para baixo.

O economista do ING Carsten Brzeski disse que o arrefecimento da demanda global estava agravando problemas estruturais da Alemanha.

"Como resultado, o comércio não é mais o forte e resiliente impulsionador do crescimento da economia alemã que costumava ser, mas sim um entrave", disse ele, acrescentando que o desempenho das exportações aumenta o risco de a economia entrar em recessão no terceiro trimestre.

As importações também caíram inesperadamente em 0,4% no mês, mostraram os dados. A previsão era de um aumento de 0,5%.

A balança de comércio exterior apresentou um superávit de 16,6 bilhões de euros em agosto, em comparação com saldo positivo revisado para cima de 17,7 bilhões de euros no mês anterior.

Além da China, as exportações para quase todos os destinos relevantes pelas empresas alemãs caíram em agosto, com um declínio acentuado de 2,6% nas exportações para a zona do euro e queda de 1,3% nas remessas para os Estados Unidos. As exportações para a China aumentaram 1,2%, informou o escritório.

O sentimento no setor de exportação alemão estava nitidamente pior em setembro, segundo uma pesquisa do instituto Ifo do mês passado, já que as exportações para todas as principais regiões estão atualmente em declínio.

Continua após a publicidade

(Por Miranda Murray)

Deixe seu comentário

Só para assinantes