Telecom Italia precisa de solução que proteja Vivendi e todos os acionistas, diz ministro

Por Giuseppe Fonte e Elvira Pollina

ROMA (Reuters) - Os planos para renovar a Telecom Italia precisam proteger todos os acionistas do antigo monopólio telefônico, incluindo o principal investidor Vivendi, disse o ministro da Economia da Itália, Giancarlo Giorgetti, nesta terça-feira.

Na semana passada, Giorgetti reuniu-se com representantes do grupo de mídia francês Vivendi, que expressou preocupações sobre um plano patrocinado pelo governo para vender a rede fixa da Telecom Italia ao fundo norte-americano KKR como parte de uma estratégia para aliviar a carga financeira do grupo.

Espera-se que a KKR, que está em negociação exclusiva com a Telecom Italia, apresente uma proposta vinculante para o ativo até este domingo, 15 de outubro.

"Precisamos de uma solução para salvaguardar uma peça-chave de infraestrutura e evitar qualquer dano... para a Vivendi e para todos os acionistas (da Telecom Italia)", disse Giorgetti a repórteres em Roma.

Um acordo com a KKR, que avalia o negócio NetCo, da Telecom Italia, em cerca de 23 bilhões de euros ao incluir a dívida e alguns itens variáveis, é parte fundamental da estratégia do presidente-executivo da Telecom Italia, Pietro Labriola, para renovar o grupo de telecomunicações.

Deixe seu comentário

Só para assinantes