Rússia e Arábia Saudita discutem mercado e preços de petróleo em meio à guerra Israel-Hamas

Por Vladimir Soldatkin e Olesya Astakhova

MOSCOU (Reuters) - A Arábia Saudita e a Rússia, os dois maiores exportadores de petróleo do mundo, discutiram nesta quarta-feira a situação do mercado de petróleo e os preços em meio à escalada do conflito entre Israel e o Hamas, informou a principal autoridade do setor de petróleo do governo do presidente Vladimir Putin.

Os preços do petróleo bruto subiram na sequência de uma incursão maciça em Israel a partir de Gaza, lançada pelo grupo islâmico palestino em 7 de outubro.

O vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak, cumprimentou o ministro da Energia da Arábia Saudita, príncipe Abdulaziz bin Salman, em Moscou, na quarta-feira, antes da conferência "Semana da energia russa", em Moscou, na qual Putin discursará.

Novak disse que ele e o príncipe Abdulaziz discutiram o mercado de petróleo e a cooperação dentro do grupo de produtores de petróleo da Opep+.

"É claro que (a cooperação dentro da Opep+) foi (considerada) em nossa reunião interna, um dos tópicos mais importantes que discutimos hoje", disse Novak, de acordo com a agência de notícias Interfax.

"Estamos em contato constante e usamos essa oportunidade em nossa reunião para discutir a situação do mercado", disse Novak.

Não ficou imediatamente claro quais conclusões concretas foram alcançadas, se é que houve alguma. Novak disse anteriormente que o preço do petróleo seria discutido.

A Arábia Saudita e a Rússia coordenaram cortes no fornecimento nos últimos anos para sustentar os preços do petróleo.

Continua após a publicidade

O REINO E O KREMLIN

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que era difícil superestimar a coordenação da Rússia com a Arábia Saudita e outros parceiros nos mercados globais de petróleo em meio à escalada do conflito no Oriente Médio.

Ele disse a repórteres que a visita do príncipe Abdulaziz a Moscou proporcionou uma oportunidade de analisar os assuntos atuais.

"É claro que os mercados globais de petróleo são muito sensíveis aos eventos que estão se desenrolando atualmente em torno do conflito palestino-israelense e, é claro, nesse caso, nossa coordenação com os sauditas e nossos outros parceiros (...) é difícil superestimar sua importância", disse Peskov.

Novak disse no início da reunião que a Rússia estava pronta para aumentar o fornecimento de derivados de petróleo para a Arábia Saudita. Os estados do Golfo, que têm suas próprias refinarias importantes, geralmente reexportam o combustível russo.

Ele também disse que a Rússia estava pronta para cooperar com a Arábia Saudita em energia nuclear, exploração geológica e fornecimento de alimentos.

Continua após a publicidade

(Reportagem de Vladimir Soldatkin, Olesya Astakhova e Dmitry Antonov)

Deixe seu comentário

Só para assinantes