Ibovespa recua com tombo de Petrobras ofuscando Treasury

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou com em leve queda nesta segunda-feira, uma vez que o alívio nos rendimentos dos Treasuries foi ofuscado pelo tombo de Petrobras, após decisões do Conselho de Administração desencadearem preocupações sobre os dividendos extraordinários e a governança da companhia.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,33%, a 112.784,52 pontos. Na máxima do dia, chegou a 113.679,63 pontos. Na mínima, foi a 112.164,36 pontos. O volume financeiro somou 21,2 bilhões de reais.

No final da tarde, o rendimento do Treasury de dez anos --referência global para decisões de investimento-- caía 7,20 pontos-base, a 4,8523%, após superar 5% mais cedo, renovando máxima em 16 anos, em meio às incertezas sobre o rumo dos juros nos Estados Unidos.

Parte da razão para mudança de direção nos Treasuries durante o dia foi atribuída por agentes à busca por segurança diante de preocupações com uma escalada do conflito Israel-Hamas. Além disso, o investidor bilionário Bill Ackman revelou nesta segunda-feira cobriu suas apostas anteriores contra títulos do Tesouro norte-americano.

Com a decisão de política monetária do Federal Reserve na próxima semana, agentes financeiros estão na expectativa principalmente por dados sobre as despesas de consumo pessoal (PCE) nos EUA na sexta-feira, que trazem um índice de preços bastante acompanhado pelo Federal Reserve (Fed).

"Essa semana trará indicadores importantes que devem auxiliar o Fed em sua tomada de decisão, sendo o PCE, previsto para a sexta-feira, o principal deles e referencial para a meta inflacionária do Fed", afirmaram estrategistas do BTG Pactual, citando também o resultado do PIB dos EUA no terceiro trimestre, na quinta-feira.

Em Wall Street, o S&P 500 ensaiou uma melhora, mas mudou de sinal novamente e fechou em baixa de 0,17%, antes de mais resultados de empresas dos EUA nos próximos dias. O Nasdaq Composite encerrou no azul, enquanto o Dow Jones também terminou o dia em queda.

Investidores da bolsa paulista também começam a receber nesta semana os primeiros resultados corporativos do terceiro trimestre, com Klabin, Santander Brasil e Weg abrindo na quarta-feira o calendário das empresas que fazem parte do Ibovespa.

Continua após a publicidade

DESTAQUES

- PETROBRAS PN recuou 6,61%, a 35,35 reais, e PETROBRAS ON cedeu 6,03%, a 38,35 reais, resultando em uma perda de 32,3 bilhões de reais em valor de mercado. As ações foram penalizadas pelo anúncio da companhia de que seu conselho aprovou a submissão de proposta de revisão do seu estatuto social à assembleia geral extraordinária (AGE), a ser convocada oportunamente, para criar uma reserva de remuneração do capital. A companhia afirmou, em comunicado, que a política de remuneração aos acionistas continua vigente, mas analistas do Citi avaliaram que a nova reserva pode dar mais flexibilidade à empresa para pagar ou não futuros dividendos extraordinários. A Petrobras também anunciou proposta de mudança na política da empresa de nomeação da alta administração e do conselho fiscal. As ações, que renovaram máximas históricas na semana passada, ainda tiveram como pano de fundo a queda do petróleo no exterior nesta sessão.

- VALE ON caiu 0,19%, a 62,56 reais, à medida que os futuros do minério de ferro negociados na bolsa chinesa de Dalian cederam nesta segunda-feira, afetados pela crise do setor imobiliário da China e por sinais de enfraquecimento da demanda das siderúrgicas chinesas. O contrato mais negociado encerrou as negociações diurnas com queda de 2,5%. O papel da mineradora brasileira já vinha de três quedas seguidas.

- ITAÚ UNIBANCO PN ganhou 0,11%, a 26,99 reais, e BRADESCO PN subiu 0,14%, a 14,18 reais. Já SANTANDER BRASIL UNIT fechou com acréscimo de 2,21%, a 26,79 reais, antes de abrir, na quarta-feira, a temporada de balanços para os grandes bancos brasileiros. BTG PACTUAL UNIT saltou 3,87%, a 30,36 reais.

- CVC BRASIL ON disparou 9,20%, a 2,73 reais, em sessão de ajustes, após recuar em seis dos últimos sete pregões. No setor de viagens, GOL PN avançou 5,51% e AZUL PN subiu 4,61%, favorecidas também pela queda dos preços do petróleo no exterior e declínio do dólar em relação ao real.

- MÉLIUZ ON, que não faz parte do Ibovespa, saltou 9,33%, a 7,03 reais, após a companhia anunciar nesta segunda-feira que o Banco Central aprovou na semana passada transferência do controle societário da fintech Bankly para o banco BV. Na visão da equipe da Genial, a conclusão da venda do Bankly é um dos principais pilares para que a empresa atinja o "break-even". "Acreditamos que isso resultará em uma redução significativa na queima de caixa, uma vez que o Bankly é um dos maiores responsáveis", afirmou em comentário a clientes.

Deixe seu comentário

Só para assinantes