Pedidos semanais de auxílio-desemprego nos EUA atingem máxima em 10 meses

WASHINGTON (Reuters) - O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego atingiu uma máxima em 10 meses na semana passada, indicando afrouxamento das condições do mercado de trabalho.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego aumentaram em 13.000 na semana encerrada em 8 de junho, para 242.000 em dado com ajuste sazonal, o nível mais alto desde agosto passado, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira.

Economistas consultados pela Reuters previam 225.000 pedidos na última semana.

O mercado de trabalho está esfriando constantemente à medida que os efeitos cumulativos e defasados dos aumentos totais de 525 pontos-base na taxa de juros pelo Federal Reserve desde 2022 impactam amplamente a economia.

A taxa de desemprego aumentou para 4% em maio, ainda relativamente baixa, pela primeira vez desde janeiro de 2022, enquanto o crescimento econômico desacelerou consideravelmente no primeiro trimestre.

Na quarta-feira, o banco central dos EUA manteve sua taxa de juros de referência na faixa atual de 5,25% a 5,50%, onde está desde julho passado.

As autoridades do Fed adiaram o início dos cortes nas taxas para talvez até dezembro, projetando apenas uma única redução de 0,25 ponto percentual para este ano.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Deixe seu comentário

Só para assinantes