CNJ arquiva três representações contra Sergio Moro na Lava-Jato

A corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Nancy Andrighi, arquivou nesta segunda-feira três representações que pediam a investigação do juiz Sergio Moro por supostas infrações disciplinares na condução da Lava-Jato.

Os pedidos foram protocolados após a condução coercitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em março, quando ele foi levado para prestar depoimento na Lava-Jato. As ações rejeitadas foram apresentadas pela bancada do PT na Câmara, por senadores alinhados com o governo Dilma e um advogado de Santa Catarina.

As representações questionam as interceptações telefônicas da Lava-Jato do ex-presidente Lula - que alcançaram a presidente afastada Dilma Rousseff e outras autoridades com foro privilegiado -, a divulgação dos grampos e o horário da gravação de conversa - que ultrapassou o autorizado pela Justiça.

Das 14 representações recebidas contra Moro desde março, o CNJ já arquivou oito ações - sendo quatro por problemas de documentos e quatro por improcedência do pedido. Outros seis processos sobre o juiz ainda aguardam avaliação da ministra.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos