Bolsas

Câmbio

Bovespa fecha em alta com ajuda da Petrobras

O dia foi de bastante volatilidade na bolsa de valores. O indicador chegou a subir 1,57% sustentado pela alta no preço do barril do petróleo e pelo desempenho positivo das bolsas americanas. As ações da Petrobras chegaram a subir mais de 7% e ajudaram a puxar para cima o Ibovespa. A estatal anunciou uma captação no mercado internacional e agradou os investidores, já que haverá um alongamento da dívida.

Mas, no meio da tarde, a cotação do petróleo começou a cair e puxou para baixo as bolsas americanas, as ações da Petrobras e o Ibovespa, que fechou com leve alta de 0,22% aos 52.015 pontos. O Dow Jones fechou em baixa de 0,14%, o S&P 500 caiu 0,13% e o Nasdaq subiu 0,36% contrato de petróleo do tipo WTI para agosto fechou em queda de 4,8% a US$ 45,14 o barril. Já o contrato tipo Brent para setembro perdeu 4,9% e era negociado a US$ 46,40 o barril. Ambos os contratos caíram para o menor nível desde 10 de maio. A queda nos preços caíram com as crescentes preocupações sobre um excesso de gasolina nos estoques americanos que persiste mesmo com o forte aumento de demanda na temporada de verão no hemisfério

As ações da Petrobras ON fecharam com alta de 2,39% e os papéis PN tiveram ganho de 0,63%. O movimento financeiro com as ações da Petrobras ON ficou em R$ 232 milhões e com os papéis da Petrobras PN tiveram movimento de R$ 788 milhões. Juntas, as duas ações responderam por 20% do movimento financeiro do Ibovespa, que ficou em R$ 5,1 bilhões.

A Petrobras fez uma captação de US$ 3 bilhões com a reabertura de emissão realizada em maio, segundo uma fonte próxima à operação. Na tranche com vencimento em 2021, a captação alcançou US$ 1,75 bilhão, a uma taxa de 7,875% ao ano. A diferença, de US$ 1,25 bilhão, foi captada em bônus de 2026, com taxa de 8,75% ao ano.

Os rendimentos ficaram abaixo do preço estimado inicialmente, entre 8,125% e 9,25%, respectivamente. Na emissão original realizada em maio, a Petrobras captou US$ 6,75 bilhões, sendo US$ 5 bilhões para 2021 com "yield" (retorno ao investidor) de 8,625% ao ano e US$ 1,75 bilhão a 9%. Os recursos serão usados para financiar a recompra de títulos no mercado com vencimento em 2017, 2018 e 2019, operação que também foi anunciada hoje pela estatal, no valor total de até US$ 2 bilhões.

"A captação de recursos foi muito positiva porque ajuda a alongar a dívida da empresa e melhora o perfil do endividamento", disse Luis Gustavo Pereira, estrategista da Guide Investimentos.

Outra notícia positiva para a Petrobras foi o fato de o banco Morgan Stanley ter elevado a recomendação para os recibos de ações (ADRs) lastreados nas ações ordinárias (ONs) da Petrobras de "equal weight", isto é, me linha com o desempenho do mercado, equivalente à neutra, para "overweight", ou seja, acima da performance do mercado, correspondente à compra. O banco também elevou o preço-alvo dos ADRs de US$ 6 para US$ 9,50 - o que representa um potencial de alta de 35,7% em relação ao fechamento de ontem, de US$ 7.

Outros destaques de alta no dia foram os papéis da Telefonica Brasil, que subiram xx%, seguidos por Hypermarcas ON, com ganho de 2,99% e Cielo ON, com alta de 2,49%. Na ponta oposta, as maiores quedas do dia ficaram com CSN ON, que caiu 5,73%, seguida por Suzano Papel e Celulose PNA, com baixa de 5,10%, Vale PNA, com queda de 3,10% e Cemig PN com baixa de 3,17%.

Entre os papéis do setor financeiro, as ações do Santander Unit subiram 1,55%, Itaú Unibanco PN subiu 1%, Bradesco PN ganhou 0,38%, Bradesco ON tive alta de 0,40% e Banco do Brasil ON fechou em baixa de 1,23%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos