Bolsas

Câmbio

Bovespa segue mercado externo, realiza lucros e fecha em queda

Depois de acumular ganho de 10,37% no mês, o Ibovespa, principal índice da bolsa de valores, caiu 0,23% para 56.873 pontos, em um movimento de realização de lucros. O desempenho negativo das bolsas americanas também colaborou que o Ibovespa fechasse em baixa.

Depois de recordes consecutivos de alta, os índices de ações americanos caíram hoje, com o predomínio da cautela dos investidores antes das decisões de política monetária de dois dos maiores bancos centrais do mundo, o Fed, na quarta-feira, e o Banco do Japão, na sexta-feira.

O giro financeiro do Ibovespa ficou em R$ 4,479 bilhões. "Esse movimento de baixa de hoje não indica que a trajetória de alta foi interrompida", diz Álvaro Bandeira, economista-chefe da Modalmais. De acordo com ele, a bolsa deve continuar registrando volatilidade nos próximos meses.

Entre as ações mais negociadas, os destaques de alta ficaram com os papéis da Equatorial ON, que subiu 4,14%, Banco do Brasil ON, teve alta de 3,34%, Usiminas PNA, teve valorização de 2,13% e Vale ON, teve alta de 1,57%.

De acordo com um relatório do banco J.P. Morgan, as distribuidoras de energia Equatorial, Energisa e Neoenergia teriam vantagens competitivas na futura privatização das distribuidoras da Eletrobras, por terem proximidade geográfica com as concessões. Na sexta-feira, os acionistas da Eletrobras rejeitaram a renovação das concessões das distribuidoras Amazonas Energia, Eletroacre, Boa Vista Energia, Ceal (Alagoas), Ceron (Rondônia) e Cepisa (Piauí). Na prática, isso fará com que as empresas sejam privatizadas até o final do ano que vem.

No caso da alta das ações do Banco do Brasil, um relatório do Deutsche Bank elevou a recomendação das ações de neutra para compra e subiu o preço-alvo para R$ 26. "O BB sofreu mais do que seus pares no ciclo de crédito atual devido a empréstimos concedidos durante a gestão do governo anterior para apoiar a economia. Isto levou à contração da margem financeira, deterioração da qualidade dos ativos, forte queda na rentabilidade, e uma relativamente baixa base de capital com um índice de capital nível 1 perto dos 8%, escreveu o analista Tito Labarta.

Na ponta oposta, as maiores quedas ficaram com Estácio Participações ON, com baixa de 5,02%, Lojas Renner ON, com queda de 3,51%, Cemig PN, com queda de 3,20% e Klabin Unit, com desvalorização de 3,08%. Uma das razões para a queda das ações da Estácio seria a saída de um investidor estrangeiro que tem em carteira ações da companhia e também da Kroton, segundo operadores.

As ações da Petrobras ON subiram 0,07% e Petrobras PN teve alta de 0,75%, em um movimento diferente da cotação do preço do petróleo no mercado internacional, que fechou em baixa. Na sexta-feira, a empresa anunciou que mudou o modelo de venda da BR Distribuidora para permitir controle compartilhado. A empresa ainda destacou que recebeu três propostas, sendo que duas foram pela participação majoritária.

As ações da Vale ON subiram 1,57 % e Vale PNA teve alta de 0,35%, acompanhando a valorização do preço do minério de ferro no mercado internacional. A tonelada subiu 1,8%, em Qingdao, na China, para US$ 56,86. Além disso, o banco Credit Suisse alterou a projeção para o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) e para o lucro por ação da Vale, incorporando o valor das commodities no ano até o momento e as novas análises para o fim deste ano. Agora, o banco espera um Ebitda de US$ 7,9 bilhões em 2016 e lucro por ação de US$ 0,73 por papel, contra US$ 0,41 por ação anteriormente.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos