Bolsas

Câmbio

IGP-DI sobe 0,03% em setembro, de 0,43% em agosto, informa FGV

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) desacelerou para 0,03% em setembro, de 0,43% em agosto, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em igual mês de 2015, a variação foi de 1,42%. Com isso, o indicador acumula alta de 6,10% no ano e de 9,74% em 12 meses. A variação em 12 meses não ficava abaixo de dois dígitos desde setembro do ano passado, quando marcou 9,31%.

Essa desaceleração expressiva no IGP-DI de setembro foi puxada pela queda dos preços agropecuários no atacado e também pela redução da alta dos preços ao consumidor, movimento beneficiado pela queda dos gastos com alimentação e transporte.

Em setembro, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) teve queda de 0,03%, após alta de 0,50% em agosto, influenciado pelo recuo de 1,56% nos produtos agropecuários, que tinham subido 0,88% no mês anterior. O IPA de produtos industriais subiu de 0,34% para 0,60%, puxado pelo minério de ferro (6,60%).

Separando-se o atacado por estágios de produção, houve queda de 0,36% nos bens finais, saindo de alta de 0,52% no mês anterior, influenciados pela queda de 7,76% nos alimentos in natura. A alta das matérias-primas brutas foi reduzida de 1,42% para 0,40%, grupo em que os destaques foram milho em grão (2,91% para -7,62%), leite in natura (9,13% para -1,63%) e aves (3,96% para -0,45%). Por fim, os bens intermediários reduziram a deflação de 0,37% para 0,06%, puxados pelos materiais e componentes para a manufatura, cuja variação passou de -0,84% para 0,14%.

No varejo, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) desacelerou de 0,32% em agosto para 0,07% em setembro, com seis de suas oito classes de despesa registrando taxas mais baixas. A maior contribuição partiu do grupo alimentação (0,69% para -0,14%), com destaque para os laticínios (de +3,98% para -3,26%).

Também cederam transportes (0,11% para -0,11%), educação, leitura e recreação (0,50% para -0,02%), saúde e cuidados pessoais (0,50% para 0,34%), comunicação (0,16% para 0,08%) e despesas diversas (-0,08% para -0,32%). Nestas classes de despesa, vale citar o comportamento dos itens: gasolina (-0,64% para -1,23%), show musical (6,53% para -4,59%), artigos de higiene e cuidado pessoal (0,62% para -0,51%), tarifa de telefone móvel (0,64% para 0,00%) e cigarros (-0,28% para -1,04%), respectivamente.

Em contrapartida, habitação (0,10% para 0,28%) e vestuário (-0,12% para 0,40%) subiram com tarifa de eletricidade residencial (-1,14% para 0,41%) e roupas (-0,18% para 0,30%), respectivamente.

Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou em setembro variação de 0,33%, acima do resultado do mês anterior, de 0,29%. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços desacelerou de 0,29% para 0,15%, mas o custo da mão de obra subiu de 0,30% para 0,48%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos