Bolsas

Câmbio

Ibovespa fecha em leve alta com Vale e fluxo

O Ibovespa fechou em leve alta na contramão de Nova York. O dia teve bastante volatilidade, com investidores ajustando preços após um rali de 9% em outubro. O índice fechou em alta de 0,52%, para 63.838 pontos, puxado pelo fluxo comprador de estrangeiros e fundos de pensão, além da alta da Vale.

"O Ibovespa vai buscar os 69 mil pontos ainda esse ano. Tem espaço para essa alta se as reformas se encaminharem", disse o economista do Modalmais, Álvaro Bandeira. E o fluxo acaba fazendo com que o sinal se mantenha positivo. O investidor estrangeiro, por exemplo, está com saldo positivo de R$ 3,016 bilhões na Bovespa (dados do dia 18 de outubro). No ano, o fluxo é positivo em R$ 16 bilhões. O estrangeiro também segue comprador nas posições abertas para o Ibovespa futuro, com 72.580 contratos.

Segundo operadores, os fundos de pensão estão começando a realocar recursos no mercado de ações, o que dá força ao movimento de valorização. "A parada dos últimos dois dias é técnica e é natural", afirmou um operador.

Hoje, o Bank of America Merrill Lynch manteve sua visão positiva para ações do Brasil após o corte de juros anunciado pelo Copom. Em relatório, o estrategista de ações para América Latina do BofA, Felipe Hirai, e a analista Nicole Inui afirmam que, em ciclos anteriores de alívio, o Ibovespa subiu em média 27% (comparado com queda de 2% durante períodos de aperto).

As ações do setor financeiro são as que se destacam com mais consistência, com performance melhor que a do mercado em cinco dos últimos seis ciclos de alívio, numa alta média setorial de 32,8%. O analista especializado em bancos, Mario Pierry, nota que a qualidade dos ativos tende a melhorar. Do outro lado, ações de telecomunicações (+5,6%) e de energia (22,3%) quase sempre têm performance pior que a média do mercado.

Os períodos de alívio avaliados pelo BofA ocorreram em 2000, 2002, 2003, 2005, 2009 e 2011. Os analistas ponderam, no entanto, que, nos ciclos anteriores, o Ibovespa subiu entre 8% e 9% entre três meses e seis meses antes do início do ciclo. Dessa vez, o índice já subiu 12% em três meses e 20% em seis meses.

Segundo o BofA, o ciclo de queda de juros e o ajuste fiscal são os dois catalisadores mais importantes para o mercado no momento. "Acreditamos que o mercado deve a partir de agora focar na recuperação do crescimento do PIB, que é extremamente importante para dar suporte à expansão de margens. Os lucros devem crescer 20% nos próximos dois anos, essencialmente puxados por margens operacionais maiores", afirma.

O corte de ontem, dizem, ficou abaixo do esperado, já que o BC se mantém focado em trazer a inflação para a meta de 4,5%. O economista do banco, David Beker, espera um alívio cumulativo de ao menos 450 pontos-base nos dois próximos anos, enquanto o mercado espera apenas 325 pontos. Na visão deles, o começo do ciclo de alívio é um catalisador-chave para o mercado de ações, dadas as expectativas de crescimento do PIB e de entrada de recursos. Entretanto, uma recuperação econômica permanece incerta e ainda é um risco negativo. O consenso espera crescimento de 20% nos lucros em 2017 e 2018, mas isso será possível somente com crescimento mais forte.

O tom positivo do dia teve forte presença de Vale, que subiu após divulgação de sua produção de minério, mas também com a alta do minério de ferro em Qingdao, de 0,82%, a US$ 58,85. A empresa divulgou que a produção de minério de ferro aumentou 1,5% no terceiro trimestre de 2016, totalizando 92 milhões de toneladas. Na comparação com o mesmo período de 2015, a produção subiu 6,1%.

O BTG Pactual diz, em relatório, que os números superaram levemente suas estimativas onde importam mais: no próprio minério. Mas a performance na divisão de metais básicos veio mesclada: forte em cobre, mas um pouco abaixo em níquel. A casa permanece com visão neutra para a empresa. Vale PNA fechou na maior alta do Ibovespa, de 4,43%, e Vale ON subiu 2,58%.

Petrobras passou o dia todo em queda, acompanhando o recuo do petróleo, mas as PN conseguiram virar com o fluxo comprador e subiram 0,68% no fechamento. Petrobras ON caiu 0,16%. O petróleo fechou em queda de 2,3% nos Estados Unidos.

Fora do Ibovespa, as ações da Gafisa foram destaque de alta novamente e subiram 7,33%. Ontem, os papéis subiram após números operacionais do terceiro trimestre. No final da noite de ontem, saiu a notícia de que o conselho da empresa aprovou a venda de suas ações na Tenda por meio de uma oferta secundária de ações.

Rossi, que disparou ontem na esteira dos números da Gafisa e na expectativa de queda de juros pelo Copom, hoje devolveu lucros e caiu 6,25%. Ainda no setor, Direcional ON caiu 1,44%, após a divulgação de números operacionais, O BTG Pactual considerou os números desapontadores, mas segue recomendando compra do ativo e ressalva que os números foram prejudicados pela greve dos bancos. Os lançamentos foram de R$ 151 milhões no terceiro trimestre, queda de 25% sobre o trimestre anterior.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos