Bolsas

Câmbio

Juros futuros fecham em alta após vitória de Trump nos EUA

As taxas dos contratos futuros de juros subiram na BM&F, mas fecharam longe das máximas em dia de correção dos mercados após a vitória do candidato republicano Donald Trump na eleição para a Presidência dos Estados Unidos. As pesquisas apontavam uma disputa acirrada, mas com favoritismo da candidata democrata Hillary Clinton.

O DI para janeiro de 2018 subiu de 12,10% para 12,15% no fechamento do pregão regular e o DI para janeiro de 2019 avançou de 11,41% para 11,52%. O DI para janeiro de 2021 teve alta de 11,21% para 11,41%.

A questão no mercado doméstico é se a mudança do governo americano pode influenciar a decisão de política monetária no Brasil, especialmente na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para 29 e 30 de novembro.

O sócio gestor da Quantitas, Rogério Braga, acredita que, dependendo do que acontecer com os mercados internacionais e com o câmbio, o BC pode mudar a sua decisão na reunião de novembro. A gestora espera um corte de 0,25 ponto percentual da Selic neste mês, mas o risco é de uma queda maior. Braga destaca que o ritmo do ciclo de afrouxamento monetário vai depender mais dos fatores domésticos que externos.

Hoje, o IBGE divulgou que o IPCA de outubro acelerou menos que o previsto. O índice avançou 0,26%, ante taxa prevista de 0,28%.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos