Bolsas

Câmbio

Noticiário corporativo impulsiona Bolsa; dólar sai na casa de R$ 3,43

Após uma manhã de hesitação, na qual chegou a registrar queda de 0,72%, o Ibovespa engatou movimento francamente positivo e subia 1% às 13h30, para 60.439 pontos, acompanhando as bolsas da Europa. Notícias corporativas puxavam JBS, Petrobras e Localiza e deixavam para trás as preocupações políticas.

Os papéis ON da JBS disparavam 17,24%, após a empresa informar que fará uma oferta pública inicial de ações (IPO) ordinárias classe A de sua subsidiária JBS Foods International B.V. (JBSFI) na Bolsa de Nova York.

As ações da Petrobras também estavam entre os destaques de alta do Ibovespa. Petrobras PN subia 1,34% e ON ganhava 0,94%. Os papéis reagem à notícia de que a estatal de petróleo anunciou elevação média no preço do diesel nas refinarias em 9,5% e da gasolina em 8,1%, com vigência a partir de hoje.

Localiza aumentava 7,59%. A operadora de aluguel de carros comunicou ontem a compra, por meio de sua subsidiária Localiza Fleet, de 99,99% das cotas da Hertz Brasil, pelo valor estimado de R$ 337 milhões.

Câmbio

O dólar subia frente ao real, descolando-se do movimento no exterior, com o aumento da incerteza no cenário político após o afastamento do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e a preocupação de isso possa prejudicar o andamento da agenda de ajuste fiscal.

Ontem, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio de Mello afastou o presidente do Senado. O senador recorreu da decisão e entrou com mandado de segurança no STF contra o afastamento. O mercado teme que o sucessor de Renan, o senador Jorge Viana (PT-AC), possa atrapalhar a votação das medidas de ajuste fiscal.

Às 13h34, o dólar comercial subia 0,15% para R$ 3,4348, enquanto o contrato futuro para janeiro de 2017 avançava 0,38%, para R$ 3,4610.

O real hoje tinha o pior dsempenho entre as moedas emergentes frente ao dólar.

Hoje o BC renovou mais 15 mil contratos de swap cambial tradicional que venceriam em janeiro, que somaram US$ 750 milhões.

A autoridade monetária divulgou a alta da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). A leitura do mercado é de o Banco Central (BC) sinalizou uma aceleração do corte de juros diante do cenário de fraca atividade econômica.

Juros

A ata do Copom ficou no radar dos participantes no mercado de juros futuros. A ênfase dada ao efeito da atividade econômica, mais fraca do que o esperado, sobre a inflação e a relativização de outros riscos, inclusive do externo, levaram o mercado a acreditar que o BC está disposto a acelerar o ritmo de corte em janeiro.

O cenário político também é outro elemento que merece acompanhamento, depois do afastamento de Renan Calheiros da presidência do Senado.

Às 13h38, DI janeiro/2021 era negociado a 12,01% (12,02% no ajuste de ontem); DI janeiro/2018 tinha taxa de 11,95% (12,03% ontem); e DI janeiro/2019 era negociado a 11,56% (11,61%).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos