Bolsas

Câmbio

Bovespa sobe 7,3% em janeiro de olho na economia e recurso estrangeiro

O Ibovespa acumulou alta de 7,38% em janeiro. A entrada de recursos estrangeiros no país, o afrouxamento monetário e a perspectiva de retomada do crescimento econômico favoreceram o desempenho do índice. Nesta terça, o Ibovespa fechou com alta de 0,57% aos 64.671 pontos, mas com fraco giro financeiro, de R$ 5,1 bilhões.

Os investidores estrangeiros colocaram R$ 6,2 bilhões na bolsa de valores até o dia 27 de janeiro, resultado de compras de R$ 67,753 bilhões e de vendas de R$ 61,523 bilhões. De acordo com operadores, a alta liquidez global favorece os investimentos em países emergentes como o Brasil.

A tendência de queda da taxa básica de juros da economia, que está em 13% ao ano, também estimula os investimentos em ativos de renda variável. Os economistas também consideram que a retoma do crescimento econômico deve aumentar a receitas das companhias. O Boletim Focus estima crescimento de 0,50% no PIB (Produto Interno Bruto) neste ano.

O fraco giro financeiro, no entanto, demonstra que o investidor está receoso em adotar posições de longo prazo. "Não está claro como será o governo Trump, o que pode trazer volatilidade aos mercados", diz Ignácio Crespo, economista da Guide Investimentos.

A alta das ações da Petrobras sustentou o movimento de ganhos do Ibovespa no pregão de hoje. Os papéis preferenciais da Petrobras subiram 1,21% e as ações ordinárias tiveram alta de 0,31%. No mercado internacional, os contratos de petróleo WTI, com vencimento em março, subiram 0,3% para US$ 52,81 o barril. "Pelo peso que tem na composição do Ibovespa, as ações da Petrobras ajudaram o índice a ficar no terreno positivo", diz Crespo.

Outras ações que fecharam em alta foram os papéis da Cemig, que subiram 6,90%. Segundo operadores, há rumores de que o Ministério da Fazenda poderia exigir a privatização da Cemig como contrapartida na renegociação das dívidas de Minas Gerais com a União, assim como foi exigido a privatização da companhia de saneamento Cedae no acordo com o Rio de Janeiro.

As ações PNA da Vale subiram 0,36% e os papéis ordinários recuaram 0,22%. Os papéis das empresas de siderurgia e mineração operaram sem a referência do preço do minério de ferro na China, a principal praça para a commodity. Os mercados chineses estão fechados até quinta-feira para comemorar o feriado do Ano Novo Lunar.

As ações PNA da Usiminas subiram 4,37%, os papéis da BR Malls subiram 7,71% e as ações da CPFL tiveram alta de 3,81%.

Na ponta oposta, as maiores quedas do dia ficaram com os papéis da Fibria, que recuaram 7,06%, seguidos pelas ações da Suzano Papel e Celulose, com baixa de 3,74% e as ações da Estácio, com desvalorização de 3,05%. A Fibria registrou um prejuízo líquido de R$ 92 milhões no quarto trimestre, revertendo lucro líquido de R$ 910 milhões de igual período de 2015. O resultado foi impactado tanto pelo lado operacional, com queda do preço da celulose em dólar e desvalorização do dólar médio frente ao real, quanto por piora na linha financeira.

As ações da Cielo caíram 0,86%. A empresa teve lucro líquido de R$ 1,011 bilhão no quarto trimestre de 2016, com leve alta 0,2% em relação ao terceiro trimestre e de 18,6% ante igual trimestre do ano passado - em linha com as expectativas de analistas de mercado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos