Fillon perde apoio de partido de centro-direita na França

O partido francês de centro-direita UDI, que possui quase 30 assentos parlamentares na Câmara dos Deputados do país, suspendeu nesta quarta-feira (1º) o apoio à campanha presidencial do candidato conservador François Fillon.


Embora a ala mais jovem do UDI tenha se direcionado para o lado do centrista Emmanuel Macron, a liderança do partido manteve sua aliança com Fillon até a divulgação nesta quarta de que o presidenciável foi convocado pela Justiça para depor sobre a denúncia envolvendo sua mulher.


Penelope Fillon é suspeita de ser funcionária fantasma em seu gabinete parlamentar e ter recebido mais de 500 mil euros sem desempenhar nenhuma função.


O interrogatório de Fillon, marcado para o dia 15 de março, pode levar a Justiça a formalizar acusações preliminares.


Quando o escândalo foi descoberto há algumas semanas, Fillon disse que renunciaria à candidatura caso a Justiça o investigasse, mas hoje ele afirmou a jornalistas que não abandonará a disputa. "Vou lutar até o fim", declarou.


A convocação da Justiça ainda rendeu outra baixa para Fillon. O ex-ministro de Agricultura Bruno Le Maire, influente político conservador que fazia parte da equipe de assessores da campanha do candidato do partido Os Republicanos, anunciou sua demissão como representante de assuntos internacionais de Fillon.


Le Maire criticou o candidato por não cumprir a promessa de abandonar a candidatura caso fosse acionado pela Justiça.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos