Bolsas

Câmbio

Ibovespa recua puxado por Vale e Petrobras

Na véspera da reunião do Fed, banco central dos Estados Unidos, os investidores operam com cautela. O Ibovespa abriu a sessão em baixa e às 10h22, o índice recuava 0,60% aos 65.142 pontos. O giro financeiro inicial era de R$ 224 milhões e projetava R$ 4,2 bilhões para o final do dia.


Entre as ações mais negociadas, Vale e Petrobras operavam em baixa e pela representação no Ibovespa ajudavam a colocar o índice em terreno negativo. As ações PNA da Vale caíam 0,95%, os papéis ordinários tinham baixa de 0,94%. O preço do minério de ferro ficou estável em Qingdao, na China, a US$ 88,14 a tonelada.


Uma notícia desfavorável para a ação é a notícia publicada no jornal "O Globo" de que o fundo Capital Group, detentor de 18% das ações preferenciais da companhia, ameaça barrar o novo acordo de acionistas de mineradora por não concordar com o valor de troca proposto para a conversão das ações preferenciais em ordinárias.


As ações da Petrobras, que respondem juntas por 10,5% da composição do Ibovespa, tinham baixa acompanhando a desvalorização do preço do petróleo no mercado internacional. As ações preferenciais da estatal caíam 2,64% e os papéis ordinários tinham baixa de 2,48%.


O petróleo WTI para abril operava em baixa de 1,36% a US$ 47,74 o barril, e o Brent para maio recuava 1,15% a US$ 50,76 o barril. Relatório da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) apontou que a produção por países de fora do grupo pode subir em até 400 mil barris diários, vindos em grande parte da produção de petróleo de xisto dos Estados Unidos e de areias betuminosas do Canadá. Em relatório anterior, a projeção era de uma possível alta de 160 mil barris diários.


As ações do sistema financeiro também operavam em baixa, com exceção de Banco do Brasil, que subia 0,12%.


Na ponta oposta, a maior alta do dia estava com os papéis da JBS, que subiam 1,81%. A empresa divulgou lucro líquido de R$ 693,9 milhões no quarto trimestre, revertendo prejuízo de R$ 275,1 milhões em igual período do ano anterior. O desempenho, entretanto, ficou ligeiramente acima das estimativas dos analistas compiladas pelo Valor. No acumulado do ano passado, o lucro líquido da JBS caiu 91,9% para R$ 376 milhões. Essa redução se deve, principalmente, às perdas com hedge cambial que levaram a um prejuízo líquido de R$ 2,7 bilhões no primeiro trimestre do ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos