Vale e Petrobras viram, fecham em alta e puxam Ibovespa

Faltando quase uma hora para o fechamento do pregão, o Ibovespa inverteu a tendência negativa em que operava durante todo o dia. O Ibovespa encerrou o pregão com alta de 0,71% aos 64.308 pontos, com giro financeiro de R$ 5,2 bilhões.


O movimento de queda foi interrompido quando as ações da Vale e da Petrobras começaram a subir. Os papéis da Vale PNA tiveram alta de 2,49% e as ações ordinárias ganharam 1,34%. De acordo com operadores, parte da alta fazia parte de um movimento de cobertura de posições vendidas, mas o movimento de valorização da ação foi acentuado pela notícia de que a empresa já escolheu o novo presidente.


O escolhido é Fabio Schvartsman, que atualmente é CEO da Klabin. O nome do executivo ainda precisa ser apresentado na reunião do conselho de administração da empresa.


As ações da Klabin, que estavam em queda, aceleraram o movimento de baixa após a notícia da saída de Schvartsman. Os papéis unit fecharam com recuo de 3,72%.


A Vale também anunciou que o Tribunal Distrital dos Estados Unidos no Distrito Sul de Nova York emitiu decisão julgando extinta a ação com relação à maior parte dos pedidos contra ela e o diretor-presidente Murilo Ferreira.


As ações da Usiminas tiveram a maior alta do dia e subiram 8,64%. A siderúrgica vive um novo capítulo da disputa societária entre os acionistas controladores Nippon Steel & Sumitomo e Ternium/Techint. Na última quinta-feira, Rômel de Souza foi destituído do cargo de presidente, na terceira troca de comando da empresa em menos de um ano, sendo substituído novamente por Sergio Leite.


A Nippon informou que vai entrar na Justiça contra a Ternium/Techint em relação à destituição do presidente. O principal argumento para a ação será o de quebra de acordo de acionistas. Pelo documento que rege a relação entre os controladores da Usiminas, o executivo teria de ser escolhido por consenso.


As ações preferenciais da Petrobras fecharam com alta de 2,15% e os papéis ordinários subiram 1,83%. A companhia anunciou ao mercado a aprovação do conselho para a recondução de Pedro Parente para um novo mandato na presidência, agora de dois anos. Parente foi eleito em maio de 2016 para continuar a gestão de Aldemir Bendine.


Os acionistas da Petrobras aprovaram hoje, em assembleia geral extraordinária, a venda integral da Petroquímica Suape e da Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe) para a mexicana Alpek, por US$ 385 milhões. A alienação foi aprovada por 88,15% dos votos.


O dia também foi positivo para as ações das empresas frigoríficas, que recuperaram parte das perdas recentes. As ações ordinárias da BRF subiram 3,60%, os papéis da Marfrig ganharam 1,86%, as ações da Minerva subiram 6,05%. Os papéis da JBS ficaram na contramão e caíram 1,74%. O Brasil reverteu restrições à carne em China, Chile e Egito, enquanto a Suíça expande restrição a carne brasileira de 4 plantas para 21.


Na ponta oposta, a maior queda do dia ficou com os papéis da Eletrobras, que recuaram 5,42%, em meio a rumores de saída do presidente do conselho de administração, José Luiz Alquéres. Ele deverá ser substituído pela economista e advogada Elena Landau. O governo deverá indicar também Claudio Frishtak e Ariosto Antunes Calau para duas vagas no conselho de administração da empresa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos