Bolsas

Câmbio

Vendas no varejo recuam 0,7% em janeiro, aponta IBGE

O volume de vendas no varejo caiu 0,7% no primeiro mês de 2017, na comparação com dezembro de 2016, já descontados os efeitos sazonais, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É a segunda queda consecutiva, já que, em dezembro, o varejo recuou 1,9% no confronto mensal.


Na comparação com janeiro de 2016, o varejo diminuiu 7%, 22ª taxa negativa consecutiva nessa comparação. Em 12 meses, houve baixa de 5,9%.


O comércio teve queda de 6,2% em 2016, o pior ano da série histórica e oi o segundo ano seguido de queda do setor, depois do decréscimo de 4,3% em 2015.


A estimativa para o varejo em janeiro apurada peloValor Datajunto a 24 economistas e instituições financeiras era de avanço de 0,4%. O intervalo das estimativas ia de alta de 1,3% a queda de 0,5%.


O IBGE também informou que a receita nominal do varejo diminuiu 0,8% entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017, feito o ajuste sazonal. No confronto com janeiro de 2016, a receita nominal do varejo teve baixa de 2,3%. Em 12 meses, contudo, a receita aumentou 4,2%.


No varejo ampliado, que inclui as vendas de veículos e motos, partes e peças, e material de construção, o volume de vendas cedeu 0,2% na comparação com dezembro de 2016, já descontados os efeitos sazonais. Os analistas esperavam queda de 0,8%.


Ante janeiro de 2016, o volume de vendas do varejo ampliado encolheu 4,8%. Em 12 meses, a baixa foi de 7,9%.


Em 2016, as vendas do varejo ampliado caíram 8,7%, também pior resultado da série da pesquisa, esta iniciada em 2004. Em 2015, o varejo ampliado recuou 8,6% e, em 2014 diminuiu 1,7%.


Por sua vez, a receita nominal do varejo ampliado recuou 0,9% em janeiro, perante o mês anterior, e declinou 1,7% em relação a janeiro de 2016.


Nova série


A Pesquisa Mensal de Comércio passou por atualização no tamanho da amostra de informantes para 6.150 empresas, selecionados a partir da Pesquisa Anual de Comércio (PAC), realizada em 2014. A série completa dos índices, a chamada série encadeada, tem como período de referência o ano de 2014. Esta foi a primeira divulgação com esta nova série.


De acordo com o IBGE, os índices de janeiro de 2000 até dezembro de 2003 têm o ano-base em 2000. Os índices de janeiro de 2004 até dezembro de 2011 têm o ano-base em 2003. Os índices de janeiro de 2012 até dezembro de 2016 têm o ano-base em 2011. Os índices de janeiro de 2017 em diante têm o ano-base em 2014.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos