Bolsas

Câmbio

Dólar tem 3ª semana de alta de olho em incertezas fiscais

O dólar cravou a terceira semana seguida de alta frente ao real, reflexo direto da maior preocupação em torno da capacidade do governo de aprovar o ajuste fiscal - centrado agora na reforma da Previdência. A variação dos preços, porém, indica que os movimentos ainda sugerem mais ajuste pontual de posições do que mudança consistente de cenário.


O dólar subiu 0,61% nesta semana, menos que na semana anterior, quando avançou 0,75%.


O patamar do câmbio, porém, serve de lembrete de que investidores passaram a ver um cenário mais tortuoso. A cotação fechou esta sexta-feira a R$ 3,1499, maior nível desde 14 de março (R$ 3,1716).


O movimento durante o dia também é um indicador de que a volatilidade deve persistir no mercado. O dólar saiu de uma mínima de R$ 3,1182 (-0,90%) a uma máxima de R$ 3,1583 (+0,37%). No encerramento de hoje, a moeda subiu apenas 0,10%.


A cotação caiu às mínimas após a divulgação do "payroll" americano, que mostrou geração de vagas de emprego bem abaixo do esperado para março. Mas o dólar recuperou terreno frente a várias divisas emergentes, em meio a riscos geopolíticos, o que acabou dando sustentação aos ganhos da cotação aqui.


O dólar subia 0,3% frente à lira turca, 0,5% em relação ao dólar australiano e saltava 1,8% contra o rublo russo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos