Bolsas

Câmbio

Juro futuro cede com alívio externo, mas temas locais seguem no foco

Os juros futuros começaram a semana em baixa, refletindo um desmonte parcial de posições defensivas construídas nos últimos dias. A trégua foi ditada principalmente pelo exterior, onde pesou o efeito positivo do resultado do primeiro turno das eleições na França.


Mas a ausência de novas notícias negativas no plano doméstico corrobou o movimento nas taxas. A semana, porém, traz potencial de volatilidade, com o foco voltado mais uma vez para as reformas - trabalhista e da Previdência.


Debates em torno do texto da reforma da Previdência serão feitos terça-feira e quinta-feira, com o objetivo de permitir que o projeto seja votado na comissão da Câmara dos Deputados em 2 de maio. Nesta quarta-feira, o texto da reforma trabalhista deverá ser votado em plenário.


Nas últimas semanas, especialmente a passada, os juros sofreram evidente ajuste de alta. O movimento não chegou a representar mudança substancial de expectativas com a aprovação das reformas, mas indicou que os investidores passaram a demandar mais prêmio para manter as mesmas posições.


Os estrategistas da Icatu Vanguarda mantêm cenário "construtivo" para os ativos locais, mas admitem que o rali não será "linear". Os profissionais atribuem à reforma da Previdência o maior risco do mercado hoje. "Se o governo falhar nesta frente, o cenário poderá ser rapidamente revertido", afirmam em nota.


Ao fim do pregão regular, às 16h, o DI janeiro de 2018 cedia a 9,500% (9,545% no último ajuste). O DI janeiro de 2019 caía a 9,330% (9,380% no ajuste anterior). E o DI janeiro de 2021 recuava a 9,900% (9,940% no último ajuste).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos