STF concede liberdade ao pecuarista José Carlos Bumlai

O pecuarista José Carlos Bumlai, condenado pela Operação Lava-Jato por corrupção passiva e gestão fraudulenta de instituição financeira, teve sua prisão revogada por decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). O placar terminou em 3 votos a favor da liberdade, contra 2 pela manutenção da prisão.


O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou pena de 9 anos e 10 meses de prisão, que Bumlai cumpria em regime domiciliar desde novembro do ano passado, por decisão do ministro Teori Zavascki, então relator da Lava-Jato no STF. O empresário é acusado de retirar empréstimo de R$ 12 milhões no banco Schahin para pagar dívidas do PT.


A defesa de Bumlai ainda pode apresentar recurso, mas, a partir de agora, o pecuarista pode aguardar em liberdade - até então, ele estava sendo monitorado por meio de tornozeleira eletrônica.


Os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Celso de Mello votaram por conceder a liberdade a Bumlai, pesando o fato de o pecuarista sofrer de várias doenças - como problemas cardíacos e câncer na bexiga - e não ter tentado obstruir o curso das investigações. Saíram vencidos os ministros Edson Fachin - que substituiu Teori na relatoria da Lava-Jato, após sua morte em janeiro - e Ricardo Lewandowski.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos