Bolsas

Câmbio

"Não podemos admitir ensaio de retorno a tempos sombrios", diz OAB/RJ

A seção fluminense da Ordem dos Advogados do Brasil emitiu uma nota de repúdio à "violenta ação" da Polícia Militar contra os manifestantes que participavam de ato, na Cinelândia, contra as reformas trabalhista e previdenciária propostas pelo governo Michel Temer.


"Nada justifica a investida, com bombas e cassetetes, contra uma multidão que protestava de modo pacífico. Se houve excessos por parte de alguns ativistas, a polícia deveria tratar de contê-los na forma da lei", citou o presidente da OAB/RJ, Felipe Santa Cruz, em nota.


Ele destacou que a ação da PM, baseada em "métodos de tocaia" e de perseguição a pessoas que "tão-só exerciam seu direito à manifestação", representa um "grave atentado" à Constituição e ao Estado democrático de Direito.


"O Brasil passou mais de duas décadas sob o jugo do autoritarismo. Não podemos admitir qualquer ensaio de retorno a aqueles tempos sombrios. É o alerta que a OAB/RJ, em seu papel institucional, faz nesse preocupante momento de nossa história", afirmou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos