Ataque contra acampamento pró-Lula deixa dois feridos em Curitiba

(Atualizada às 12h35) O acampamento onde estão concentrados os simpatizantes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Curitiba foi atacado na madrugada desta quarta-feira (10) e duas pessoas ficaram feridas. Segundo relatos de integrantes da frente Brasil Popular, que organiza o alojamento, foram lançados foguetes contra uma barraca de lona por volta da 1h30.


Um adulto ficou com queimaduras e uma criança foi atingida no olho por estilhaços.


Em nota, a Frente Brasil Popular, que reúne entidades como CUT e MST, pediu a investigação e punição dos responsáveis pelo ataque, identificados pela frente como "grupos de direita". "O ataque, mais do que demonstrar uma aversão à democracia, reforça a ideia de intolerância e métodos violentos utilizados por grupos isolados que se opõe à agenda de manifestações pacíficas", afirmou a Frente.


Manifestantes a favor da Operação Lava-Jato também condenaram o ataque."Ninguém, de nenhum movimento [pró-Lava-Jato] tem autorização para cometer qualquer tipo de ato de violência. Não concordamos com o movimento deles, mas queremos um protesto pacífico, até por isso fizemos o nosso bem distante do centro, onde eles estão", disseMarisa Lobo, do movimento Curitiba Contra a Corrupção.


O acampamento foi montado na rodoferroviária de Curitiba na terça-feira (9) para acolher os manifestantes que estão vindo de diferentes regiões do país para acompanhar o depoimento do ex-presidente ao juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava-Jato na primeira instância da Justiça.


Os simpatizantes de Lula estão saindo na manhã desta quarta-feira do acampamento rumo à praça Santos Andrade, onde farão um ato em solidariedade ao líder petista. Aos gritos de "Fora, Temer", alguns manifestantes carregam faixas contra o juiz Moro.


Ato pró-Lava-Jato


O Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, que deve concentrar os atos a favor da Lava-Jato e contra o ex-presidente Lula, ainda tinha movimento tranquilo por volta das 10h30 desta quarta-feira. Cerca de dez manifestantes de movimentos locais, como o Curitiba Contra a Corrupção e o República de Curitiba, estavam no local. A concentração estava marcada para começas às 10h.


A expectativa é que o movimento aumento para 300 a 400 pessoas ao longo do dia, com a chegada de integrantes do Movimento Brasil Livre (MBL) e do Vem Pra Rua, que devem trazer o boneco apelidado de "Pixuleco", que representa Lula com uma roupa de presidiário.


Os manifestantes afirmam que o quórum baixo deve-se ao fato de que muitas pessoas terem atendido ao pedido do juiz Sérgio Moro, que divulgou um vídeo pedindo que apoiadores da Lava-Jato não fizessem protestos hoje.


A região conta com a presença de policiais militares e agentes de trânsito, em uma operação que se repete em outros pontos da cidade, como no terreno perto da rodoviária, onde estão acampados os movimentos sociais a favor a Lula, e nos arredores da Justiça Federal, cujo acesso foi fechado ao público.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos